quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

RELAÇÃO ENTRE SURTOS PSICÓTICOS E FASES DO CICLO MENSTRUAL



O estradiol é um hormônio sexual esteróide produzido pelo ovário e pela placenta durante a gestação. Está em maior quantidade nas mulheres do que nos homens. Ele é responsável pela manutenção dos tecidos do organismo, garantindo a elasticidade da pele e dos vasos sanguíneos e a reconstituição óssea, entre outras funções.
Nas mulheres, sua presença é mais baixa no inicio e no final do ciclo menstrual (período pré-menstrual, onde ocorre a famosa TPM), no puerpério (pós-parto) e na transição para a menopausa.
Mulheres geralmente demoram mais para apresentar os sintomas da esquizofrenia (foi observado que eles têm um pico de idade de início da esquizofrenia entre 15 e 25 anos, enquanto as  mulheres têm dois picos: um maior entre 25 e 29 anos e outro, menor, entre 40 e 45 anos.). Além disso, elas têm prognóstico melhor no inicio da doença (melhor interação social e menos sintomas negativos da doença). Uma possível explicação para isso é a presença de estradiol, que pode agir como fator protetor. 
Essa possibilidade é reforçada por alguns achados em pesquisas, como piora dos sintomas psicóticos no período pós-parto, no inicio do ciclo e final do ciclo (período pré-menstrual). 
Acredita-se que isso ocorre, pois o estradiol diminui a ligação entre a dopamina e os receptores dopaminérgicos no cérebro humano. 
Uma das hipóteses mais viáveis sobre a origem da esquizofrenia, aponta que se trata de um desequilíbrio nos níveis de dopamina em diferentes áreas do cérebro - ela está em menor quantidade no lobo frontal (o que causa a apatia e lentidão de pensamento) e em excesso no lobo temporal (o que provoca  delírios e alucinações). A diminuição nos niveis de dopamina no lobo temporal sem dúvida é um efeito desejável nos esquizofrênicos, pois aparentemente isso causaria a diminuição dos efeitos psicóticos da doença.
Outro estudo mostrou melhora adicional dos sintomas psicóticos com uso de estradiol associado a antipsicóticos em mulheres com esquizofrenia (Kulkarni et cols).
Não existem dados suficientes para confirmar a hipótese, mas no estudo realizado no Brasil (além de outros estudos realizados no exterior), foi abservado que a maioria das pacientes internadas em hospitais psiquiátricos, estava no início ou no fim do ciclo menstrual (quando os níveis de estradiol são mais baixos).
Contradizendo os resultados da pesquisa brasileira, e das pesquisas internacionais, uma pesquisa posterior do instituto de neurociências da USP não constatou nenhuma diferença entre dois grupos de mulheres (o primeiro utilizando estradiol, e o segundo, placebo). 
Seria interessante examinar a existência (no passado e nos próximos ciclos) de alterações na apresentação dos sintomas psicóticos durante estes periodos onde os niveis de estradiol é mais baixo. Observando estes períodos do ciclo, é possível ficar precavida sobre uma possível pré-disposição a surtos e aumento dos sintomas esquizofrênicos nestas fases.
Lembrando que não existem dados suficientes para comprovar a hipótese, mas, serve como uma forma de precaução.

PARA ENTENDER MELHOR: CICLO MENSTRUAL FEMININO:



A menstruação marca o início do ciclo menstrual. Durante o período de menstruação, que varia Ade 3 a 7 dias, a hipófise começa a aumentar a produção de hormônio folículo estimulante (FSH), aumentando a taxa desse hormônio no sangue. O FSH estimula o desenvolvimento de folículos ovarianos que produzem estrogênio. Existem vários tipos de estrogênio, mas o estrogênio denominado ESTRADIOL é o tipo mais importante durante o ciclo reprodutivo da mulher, o mais potente de todos, e ele se extingue na menopausa. Quando os folículos ovarianos começam a produzir o estrogênio, a taxa desse hormônio no sangue se eleva progressivamente até atingir determinado nível, quando estimula a hipófise a liberar grandes quantidades de FSH e hormônio luteinizante (LH). Esses dois hormônios estimulam o rompimento de folículo ovariano e provoca a ovulação. A partir daí, a elevada taxa de LH no sangue induz as células do folículo ovariano rompido a se transformar no corpo amarelo que produz um pouco de estrógeno e grande quantidade de progesterona. O corpo amarelo irá atingir seu desenvolvimento máximo cerca de 7 dias após a ovulação.
O estrogênio e a progesterona atuam em conjunto sobre o útero, continuando sua preparação para uma eventual gravidez. A alta taxa desses hormônios, entretanto, exerce agora um efeito inibidor sobre a hipófise, que diminui a produção de FHS e LH. A queda na taxa de LH tem como conseqüência direta a regressão do corpo amarelo, que deixa de produzir estrogênio e progesterona. A redução brusca nas taxas desses dois hormônios ovarianos faz com que a mucosa uterina sofra descamação e começa a menstruação, iniciando um novo ciclo menstrual.


Fontes:

Bassit, DP, Louzã Neto MR. Relação entre data de admissão hospitalar e período do ciclo menstrual de mulheres com diagnóstico de esquizofrenia. Rev Bras Psiquiatr 2000; 22: 57-61. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbp/v22n2/a05v22n2.pdf

Basci, F. O ciclo menstrual.In Bioblog, Internet. Disponível em http://professornandao.blogspot.com/2010/07/o-ciclo-mentrual.html , atualizado em 2010.

Kulkarni J, Castella A, Smith D, Taffe J, Keks N, Coplov D. A clinical trial of the effect of estrogen in acutely psichotic wowen. Schiz Res 1996; 20: 247-52.

Marques APO, Efeito da adição de estrógeno conjugado em pacientes esquizofrênicos em tratamento com haloperidol. Lab. de Neuroci. IPq - Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Disponivel em: http://www.neurociencias.org.br/pt/701/efeito-da-adicao-de-estrogeno-conjugado-em-pacientes-esquizofrenicos-em-tratamento-com-haloperidol-estudo-duplo-cego/ , atualizado em 2010.



3 comentários:

Personal organizer disse...

OI ALLANA, ESTOU COM 49 ANOS, MAS MENSTRUO NORMALMENTE AINDA; SÓ QUE EU PIOREI DESSA DEPRESSÃO, DEPOIS DOS 45 ANOS, SERÁ QUE É UM PROBLEMA HORMONAL? fUI AO GINECO, MAS AINDA NÃO FIZ OS EXAMES, FALTA DE ÂNIMO, PRECISO DESCOBRIR O MOTIVO DESSA DEPRESSÃO E IRRITAÇÃO, FALTA DE VONTADE DE VIVER, RAIVA, ENERGIAS ACUMULADAS, SE NÃO NÃO SEI O QUE SERÁ DE MINHA VIDA

Allana Duarte disse...

Olá!
Não se pode dizer com certeza se a depressão na menopausa é realmente causada pela própria menopausa, como conseqüência das alterações biológicas e/ou endócrinas desse período.
Há maior incidência de depressão em mulheres peri-menopáusicas e menopáusicas do que em mulheres pré-menopáusicas.
A Depressão Peri-Menopáusica é aquela detectada até 5 anos antes da menopausa propriamente dita.
Em relação à depressão na população geral, existem referências sobre alterações na incidência de depressão entre homens e mulheres depois dos 50 anos: antes dos 50 anos a incidência entre os sexos é aproximadamente a mesma e, depois dessa idade, é francamente mais prevalente em mulheres.
Outros estudos apontam incidência de depressão em 46,1% de 419 mulheres com idade entre 45 e 55 anos.
Entre essas pacientes, 30,1% apresentavam os sintomas depressivos em grau moderado ou severo e o restante em grau leve.
Baseando-se nestes estudos, não posso afirmar com certeza que o teu caso é causado por um periodo pré-menopausa, contudo, os dados comprovam a maior incidência de de
presão entre mulheres em sua faixa etária.

Um forte abraço!

Anônimo disse...

Boa tarde! Estou com 28 anos e desde adolescente percebo que quando estou mestruada vejo imagens que não são reais e me torno agressiva... nas ultimas mestruações inclusive me machuquei me flagelando... Dra. será o caso de procurar um médico? neourologista talvez?