Loading...

quarta-feira, 6 de abril de 2011

AUTOMUTILAÇÃO ou “CUTTING”



O QUE É AUTOMUTILAÇÃO?


O termo cutting é uma palavra inglesa que significa "cortando".
A automutilação ou cutting, é um grave transtorno do impulso, que consiste no ato de ferir-se ou prejudicar a si mesmo propositalmente.
Neste transtorno, a pessoa pode bater-se, chicotear-se, cortar-se, queimar-se, puxar seu próprio cabelo, beliscar-se, tentar se estrangular, morder-se, apertar ou reabrir feridas (dermatotilexomania), arrancar os cabelos (tricotilomania), furar-se (com agulhas, arames, pregos, canetas, tesouras), ingerir agentes corrosivos ou alfinetes, ou ainda, tomar doses excessivas de medicamentos e drogas (overdose), ou àlcool, sem a intenção de cometer suicidio.
Tricotilomania
A auto-lesão entre indivíduos com distúrbios de desenvolvimento (por ex., autismo, retardamento, inteligência limítrofe) envolve, geralmente, ações relativamente simples, tais como bater a própria cabeça contra a parede, esmurrar superfícies duras e morder-se. É comum desenvolverem alotriofagia ou alotriogeusia que corresponde a um transtorno onde o afetado engole substâncias/objetos que não são comestíveis.
O portador deste transtorno não se dá conta que, neste ato, coloca seriamente em risco sua vida.
Tais ações podem ser sinal de que algo está errado...
Fica muito claro que estas pessoas precisam de ajuda, e não de criticas.


PORQUE A PESSOA SE AUTOMUTILA?


De maneira geral, a pessoa se automutila devido a uma incapacidade de lidar com seus próprios sentimentos. O individuo que pratica automutilação não busca dor fisica. Ao contrário do que a maioria pensa, eles não são masoquistas, e nem tão pouco buscam apenas chamar a atenção (mesmo porque, a maioria tenta esconder as cicatrizes causadas por este ato).
Na verdade, o que a pessoa procura, é o alivio de sua angústia, de seu desespero e de sua dor... Eles vêem no cutting a saida mais rápida para este intenso sofrimento.


O automutilador tende a ter grandes dificuldades para se expressar verbal ou emocionalmente, portanto, não consegue falar publicamente sobre suas angustias nem chorar diante de outras pessoas. Há relatos de pessoas que com o passar do tempo sentem-se incapazes de chorar até mesmo quando estão sozinhas. Essa dificuldade de expressão acaba, em muitos casos, sendo um forte fator que desencadeia o comportamento automutilador. Alguns indivíduos afirmam que escrever (textos, poemas, contos, músicas, etc.) lhes parece de grande ajuda, como uma forma de expressar suas emoções, o que não conseguem fazer de outras formas. Desse modo, a necessidade de se automutilar diminui significantemente.
Não possui amor próprio e usualmente define a sí mesmo como sendo "um lixo humano, uma criatura insuficiente e fracassada, que não tem direito de conviver com os demais". Desse modo, alguns tendem a se afastar da família e dos amigos, buscando poupa-los do mal, que presumem ser, a sua presença. Com o tempo, se vêem executando sozinhos, atividades que costumava fazer em grupo.
Geralmente afirma automutilar-se com a intenção de interromper uma dor emocional muito forte. A maioria alega se tratar "de uma espécie de troca, da dor física pela dor emocional", afirmam. Muitos praticantes da automutilação dizem que “é melhor sentir a dor fisica, do que a dor emocional”.
Além disso, vários automutiladores se ferem também como uma forma de punição, por se sentirem insuficientes e fracassados, "Um lixo humano", como eles próprio se definem. Dentre outras razões. Todos eles descrevem o desejo automutilador como algo incontrolável, como um vício do qual, ainda que queiram, não conseguem se libertar.
Logo após uma crise, em que o automutilador fere o próprio corpo ou apresenta qualquer outro comportamento auto-agressivo, o sentimento seguinte é geralmente de alivio, satisfação, culpabilidade, entre outros. 
Muitas vezes o indivíduo chora muito após o ato, e a sensação de fracassso é extrema.
Possui extrema dificuldade em falar sobre si mesmo, principalmente sobre a doença.
Alguns abandonam qualquer tipo de atividade em que seja necessária a exibição do corpo, como ir a praia ou a um clube, para que suas feridas e cicatrizes permaneçam ocultas e, desse modo, não tenham que falar sobre o problema nem corram o risco de serem impedidos de praticá-lo.
Não possui qualquer expectativa com relação ao seu futuro ou à vida de maneira geral, pois se considera incapaz de alcançar qualquer coisa realmente boa.
Quando o indivíduo consegue superar a doença, o primeiro problema com que se depara é a sensação de vazio. Muitos ex-automutiladores afirmam que se tornaram incapazes de qualquer sentimento comum ao ser humano, como ódio, raiva, indignação, medo, insegurança, alegria, amor, etc. Sentem-se apáticos e desinteressados com relação a qualquer assunto que os rodeie. "Se alguém morresse do meu lado, eu não daria a mínima", afirmam. Essa sensação tem sido observada em vários indivíduos, porém, não se estende por muito tempo. Ainda que tenha alguma recaída, o ex-automutilador tende a sentir cada vez menos falta do comportamento auto-agressivo e, com o tempo, o abandona completamente.
A automutilação é muitas vezes praticado por portadores de patologias psiquiátricas, em especial, os portadores de transtorno de personalidade Borderline, depressão, bipolaridade, anorexia, bulimia e esquizofrenia.
É imperativo que a família e amigos ajude a pessoa que se auto-mutila, começando pela reconstrução da sua auto-estima, restabelecendo os laços afetivos que muitas vezes, até por distracção, podem ter sido negligenciados e por isso mesmo ter proporcionado o isolamento e sentimento de abandono do adolescente. 
Atividades familiares de lazer, incentivar o jovem a participar em atividades lúdicas e esportivas que sejam do seu agrado e lhe permitam desenvolver os seus dons, mas sobretudo o acompanhamento médico e psicológico é fundamental para a cura, podendo frequentar uma terapia de grupo até com os pais / cônjuges.


COMO POSSO IDENTIFICAR SE ALGUÉM PASSA POR ESTE PROBLEMA?

É importante observar indícios de automutilação. Muitas vezes, temos dentro de nossa própria casa um ente que realiza “cutting”, porém, como esta não é uma atitude que se espera, geralmente os indícios passam desapercebidos.
As pessoas que se automutilam sentem vergonha e medo de revelar este comportamento. Isso faz com que eles tentem esconder, e procuram ferir-se solitariamente, em locais onde não podem ser observadas. Elas sabem que este comportamento não é bem aceito pelas pessoas.
Sendo assim, você poderá desconfiar que alguém apresenta automutilação quando essa pessoa:
a) Costuma usar roupas de mangas longas, mesmo no verão, com altas temperaturas;
b) Apresentam várias cicatrizes ou lesões repetidas e tem dificuldade para explicá-las;
c) Isola-se evitando situações onde seu corpo pode ser exposto, como praia ou piscina;
Vale lembrar que estas pessoas podem apresentar sintomas depressivos e de fobia social associados.

EXISTE TRATAMENTO?

Sim. O tratamento consiste em psicoterapia e medicações que se mostrem eficazes nos casos de automutilação.
Não existe uma medicação especifica para o tratamento deste transtorno, contudo, são utilizados medicamentos que aliviem os sintomas depressivos e ansiosos, que podem colaborar para a manutenção do comportamento. 
Há também medicações que são usadas para diminuir a impulsividade e que ajudam o paciente a resistir a vontade de se machucar, caso esta apareça.
A melhor forma de auxiliar a pessoa que pratica a automutilação é encaminha-la a um especialista, observar o possível aparecimento de novas lesões, e estimula-la a falar sobre seus sentimentos e/ou problemas.
Contudo, a própria pessoa deve tentar se ajudar!
Como diria minha avó, "mente vazia é oficina do Diabo", portanto, é preciso estar atento a possiveis recaídas no decorrer do tratamento.
Isso não é algo tão simples como parece, afinal, o cutting torna-se o "crack ou a cocaína" da pessoa que o pratica.
Durante o tratamento, a pessoa precisa esquivar-se de pensamentos de dor, numa luta diária contra recaidas. É preciso atenção também, pois nem sempre uma recaida ocorre por algum motivo catastrófico, como a morte de um ente querido, por exemplo. Uma simples discussão com um namorado ou amigo pode desencadear uma dor e desespero tamanho, que leva a pessoa a se cortar desesperadamente!
É necessário disciplina, apoio e tratamento adequado. Viver um dia de cada vez, dar um pequeno passo a cada dia. Um dia sem se automutilar deve ser visto como uma grande vitória! E caso haja uma recaída, paciência!
Realmente é um processo de reabilitação (como no abuso de àlcool e drogas). Podem ocorrer
verdadeiras "crises de abstinência" e também recaídas, contudo, não significa que perdeu-se a guerra, mas sim, uma batalha.


ONDE POSSO PROCURAR AJUDA?

É importante buscar ajuda de profissionais da área de saúde mental, como psicólogos e psiquiatras.
Seria mais indicado profissional com experiência no tratamento de pacientes com automutilação, pois estes pacientes apresentam algumas peculiaridades.
Caso estes profissionais não estejam disponíveis, já que são raros os profissionais com experiência em automutilação, seria indicado profissional com experiência em transtornos do impulso.
Em São Paulo, o Ambulatório Integrado de Transtornos do Impulso do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clinicas (IPq- HCFMUSP), oferece tratamento gratuito e especializado para este e outros transtornos do impulso.
Você poderá entrar em contato pelos fones: : 11 3069-7805, e para maiores informações, poderá acessar o site: www.amiti.com.br


SUGESTÃO DE LEITURA:


To Write Love On Her Arms (Para Escrever Amor Nos Braços Dela) : http://www.twloha.com/vision
O TWLOHA é um movimento sem fins lucrativos dedicado a apresentar esperança e fornecer ajuda para pessoas que lutam contra depressão, vícios, auto-mutilação e suicídio. Tudo começou com a tentativa de suicídio de uma menina que, após fazer cortes em seu pulso, escreveu "fuck up" (foda-se) nos braços com seu próprio sangue. Cinco dias após esse incidente, houve a decisão de reverter esse quadro e nasceu a campanha To Write Love On Her Arms, que é uma campanha a favor do amor e da vida, apoiada por várias pessoas, incluindo muitos famosos.  
Infelizmente o site é todo em inglês, mas você podera usar a função "traduzir página" do Google ou utilizar algum tradutor on line, caso não tenha fluência no idioma.


THE BUTTERFLY PROJECT SELF-HARM:

O projeto Borboleta para auto-mutiladores foi criado por praticantes de cutting que sentiam necessidade em parar, e consideravam-se prontos para enfrentar o desafio.
A idéia é relativamente simples, e pode ser mais um aliado na luta contra a prática de auto-mutilação, já que a idéia é fazer com que a pessoa treine / desenvolva seu auto-controle.

As regras são:

1) Quando você sente que quer cortar ou se ferir, com uma caneta ou marcador, desenhe uma borboleta em seu braço ou mão (ou em qualquer outra parte do corpo onde você quer infligir dor / auto ferir);

2) Nomeie a borboleta com o nome de um ente querido ou alguém que realmente quer que você obtenha melhora;

3) Você deve deixar a borboleta desaparecer naturalmente. Não esfregue a parte desenhada, ou aplique produtos que possam remover o desenho;

4) Se você cortar a parte do corpo onde há a borboleta, medite que você a matou.
Se você não cortar, ela continua viva e livre! (lembre-se que esta borboleta representa alguém importante para você);

5) Se você tiver mais de uma borboleta, e se cortar (ou machucar de alguma forma) você matou a todas elas;

6) Outra pessoa pode desenhá-las em você. Estas borboletas são "extra especiais"
Cuide bem delas!

7) Se em algum momento você perder o controle, e se cortar, não desista. Recomece todo o programa.

8) Mesmo se você não se corte, sinta-se livre para desenhar uma borboleta para mostrar seu apoio a uma pessoa que pratica o cutting. Se você fizer isso, e nomeá-la, estará ajudando-a(o) a treinar o auto-controle.



FONTES:
Giusti, J.S. Cinco coisas que você deve saber sobre Automutilação. Internet. In O que eu tenho? Disponivel em: http://oqueeutenho.uol.com.br/portal/2009/09/04/5-coisas-que-voce-deve-saber-sobre-automutilacao . Acesso em abril de 2011.
Self-harm. Internet. In BBC Online . BBC News, 2004. Disponivel em: http://news.bbc.co.uk/1/hi/health/medical_notes/4067129.stm Acesso em abril de 2011.
Automutilação. Internet. In Wikipédia, 2011. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Automutila%C3%A7%C3%A3o Acesso em abril de 2011.

92 comentários:

Elaiineh Ferreira disse...

Oi linda, estava lendo o post e só tenho que disser parabéns pois ficou muito interessante e bem explicado o que é cutting.
é tão bom quando alguem se prontifica a falar de um assunto tão serio e tão pouco conhecido.
então flor... parabéns seu blog esta maravilhoso !

Allana Duarte disse...

Olá, Elaineh!
Muito obrigada. Sem dúvida, o cutting é um tema muito sério, contudo é pouco abordado.
Para deixar a situação mais complexas, poucos profissionais tem amplo conhecimento em automutilação.
O próprio automutilador tem vergonha de falar sobre este ato.
As pessoas vêem quem se automutila como um desequilibrado, como uma "aberração", ou até mesmo como masoquista, mas o problema é outro.
São pessoas que tem dificuldade em expressar sua dor e sofrimento, e que precisam ser apoiadas, e não criticadas.
É importante obter informações sobre o tema e sempre procurar apoio de um profissional.
Obrigada pela sua mensagem tão carinhosa!

Um beijo enorme!

luna disse...

oi, eu achei muito interessante seu post sobre AM e tenho certeza que esclareceu muitas dúvidas sobre o assunto, é muito difícil as pessoas falarem sobre isso,parabéns pela atitude.

Leticia Lacerda disse...

Olá, Luna!
Fico feliz que você tenha gostado.
É importante esclarecer às pessoas o que é automutilação (AM). Somente pela informação é possivel dismisticar certos preconceitos.
Poucas pessoas podem compreender o tamanho do desespero que leva uma pessoa a se cortar, e somente repassando conhecimento, é que será possivel criar uma "rede de apoio" àquele que se fere.
Um grande abraço

Anônimo disse...

EU ME AUTOMUTILO(ME CORTO)ME AJUDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Leticia Lacerda disse...

Olá! Muitas pessoas se cortam em momentos de desespero, e reconhecer o problema, buscando ajuda, já é o primeiro grande passo!
Caso esteja em São Paulo, você pode procurar ajuda no IPq- HCFMUSP (Hospital das Clinicas)que oferece tratamento especializado e gratuito para o Cutting. Fone: 11 3069-7805, e para maiores informações, acesse o site: www.amiti.com.br
Caso não esteja em São Paulo, é importante que procure apoio com um profissional. Você pode recorrer a um psiquiatra ou a um terapêuta.
Você pode ainda buscar ajuda no Group Cutting - Um Grito de Socorro (o link está na barra lateral deste Blog). Sempre que puder, estarei por lá, ou se preferir, envie email para a admin Allana.

Boa sorte!

Anônimo disse...

Ola Leticia, preciso urgentemente falar do meu problema com voce. Mas gostaria de fazer isso mais privado. Meu e-mail sil.2211@hotmail.com
Sou uma mae que necessito de ajuda e estou fora do pais. Ajude-me!
Antecipadamente, obrigada.

Anônimo disse...

Acabei de descobrir que meu irmão faz automutilação, todos em minha familia estão arrasados, mas prontificados a ajudar e a cuidar dele. Não sei como lhe dar com isso, e talvez até me sinta um pouco responsável por nao ser uma irmã melhor. Mas espero que fique tudo bem.

Esmeralda disse...

oi gente , bom ... nao sei oq anda acontecendo comigo mas ando me cortando muito , todo dia . Tudo oqe acontece de errado me da aquela vontade de me cortar . Preciso muito da ajuda de alguem , muito mesmo :/ parece qe ngm me entende e eu ando ficando cada vez pior , cada vez os cortes ficam maiores e isso é incontrolavel . Já nem prometo qe nao vou me cortar mais pq eu sei qe nao consigo , ja tentei e aquela vontade de ter alivio instantaneo me persegue e nao dá . :/ to desisperada.

carol leal disse...

Muito bom o post, vou colocar no meu blog com os devidos créditos. Temos que repassar as informações adiante e acabar com a dor e angustia dessas pessoas!

Anônimo disse...

oi adorei o que vc fez.
eu so queria dizer que"cutting"e um asunto muito serio que deveria ser dito mais vezes para que mais adolecentes como eu e outros puldessem compartilhar seus problemas.
Bom mais asim que fazemos a diferensa falando sobre o assunto!?!?!?!?!?!?

Jéssica Ramos disse...

oi me chamo jessica tenho 17 anos e nao sei o que posso fazer para parar de me cortar ja estou nisso a quase 4 anos sei que nao é bom fazer isso mais é como se fosse um vicil, as vezes fico me perguntado se o que faço pode ter outras complicaçoes mais mesmo a sim continuo fazendo nao tem geito hj olho para mim e vejo que isso faz parte de mim bom tomei coragem pra falar isso aqui pq para que as pessoas nunca façam isso pq depois que vc começa a fazer é quase que impossivel parar espero muito que um dia eu pare. mais parabens seu blog estar maravilhoso!

Leticia Lacerda disse...

Os dois últimos comentários são de adolescentes. O cutting ou auto-mutilação muitas vezes tem inicio durante esta fase.
É importante que outras pessoas conheçam o que é o cutting, e/ou que saibam identificar indicios de que o amigo ou familiar está se auto-mutilando, para que possam ajudá-lo, sem julgá-lo.
Jéssica, é importante que você procure acompanhamento médico. É necessária a terapia e, muitas vezes são prescritos medicamentos por um psiquiatra para controlar toda esta ansiedade, angústia, tristeza, vazio... enfim, este turbilhão de sentimentos que leva a este ato.
Procure ajuda destes dois especialistas. Caso esteja em São Paulo, conselho-te a procurar o IPq- HCFMUSP (Hospital das Clinicas), que oferece tratamento especializado e gratuito para o Cutting. Fone: 11 3069-7805.
Procure ajuda o quanto antes. Não sofra calada. Existem pessoas que podem te ajudar. Nunca se esqueça de que você não está sozinha neste barco, ok?
Um abraço!

Anônimo disse...

Olá pessoal. Eu pratiquei automutilação durante anos na minha adolescência mas consegui sair do problema. Hoje estou com 34 anos. Se alguém quiser uma amiga ou simplesmente desabafar, podem me escrever. Meu e-mail é euzinha_doglover@hotmail.com. Coloquem "Automutilação" no assunto do e-mail para evitar que vá para o Lixo Eletrônico.

Anônimo disse...

Oi,Muito obrigada por essa postagem,me ajudou muito.Vai ser mais um incentivo na luta que estou travando.Já parei de me cortar,mas as vezes tenho recaídas,mas quanto mais me informo sobre o assunto,mais me sinto preparada para vencer meus problemas e vencer essa luta,sabe por que? porque assim eu vejo que não estou sozinha.E é praticamente impossível se livrar desse vicio quando nos sentimos sozinhos.

Anônimo disse...

Oi, sempre fiz isso comigo... Na verdade sempre soube que tinha algo errado, que não era normal, com certeza, mas o fato é que na hora, quando estamos desesperados, fazemos o que for necessario. Já procurei ajuda, mas não adiantou, as pessoas próximas de mim fingem não ver... e quando finalmente perguntam, sou tão distante que esquecem novamente. É complicado, querer e não querer ajuda... Hoje em especial, estou "lucida" para falar sobre, porque vi esses dias um filme, em que uma menina fazia a mesma coisa, vi que era exatamente aquilo que ela fazia, que eu sempre fiz... no fim ela morreu,se suicidou, e isso mexeu comigo. Não sei porque procurei por automutilação no google, mas quando vi seu blog, e li, é como me sinto, sei que é como eu sou... Tenho as marcas, tanto no corpo, como na alma, que me perseguem o tempo todo. Agora mesmo, ainda estou com o corte na perna, me sinto muito culpada, mas sei que não vou parar, ou vou... não sei... Só queria dizer, que seu blog, pode ajudar muitas pessoas, não consigo ver que seja meu caso, mas sei que será o caso de algumas pessoas.Queria poder dizer que vou parar, que vi uma luz, mas não vi, em nenhuma das vezes, a única coisa que fazia, faço é fingir... Já falaram tanta coisa, que tenho, mas nenhuma fez sentido. Olhei todas as postagens, tem tanta gente que quer parar, acho que é por isso que não paro, não quero. Sabe, já faço isso desde criança, mesmo, lembro de esconder um corte no braço já na segunda série. Bom, não quero ocupar muito o tempo de quem ler isso, na verdade, tanto faz...não faz diferança... Já me perdi a muito tempo... Mas obrigada, por esclarecer para pessoas que não entendem ou até, não conhecem nada sobre o assunto...

Cintia Matias disse...

olaa, voce tem muita coragem, eu tabem sou cutting e nao sei cmo parar, fico contente por teres feit isto para abri os olhos, mas por mais qe tent nao consigo deixar,gostava que me desses algumas informaçoes ou me ajudasses, mas tou feliz por explicareso que é a automutilaçao... so espero que acha mais pessoas a comprienderen-nos. beijos tem coidado contigo linda

Sozinha no meu mundinho ... disse...

Eu sofro de cutting.
Usei seu blog como fonte de pesquisa.
Bj!

http://sozinhanomeumundinho.blogspot.com/

Anônimo disse...

sentir-se sozinha é algo que ajuda muito na auto-mutilação. Eu me corto, e minhas amigas já perceberam isso e tentam me ajudar, e eu acredito que também esteja querendo isso. Mas sabe é muito difícil quando uma pessoa desconhecida descobre e te xinga te afasta ou tem preconceito, isso só faz o sofredor de cutting sentir-se rejeitado e recorrer aos cortes ou outras agressões físicas. Mas acreditem, quem busca informações sobre esse habito já é um bom sinal de recuperação, eu sou prova disso já que á um tempo atrás eu não suportava ver assuntos como esse que me sentia culpada, triste e acabava recorrendo ao cortes, mas agora eu consigo ler coisas assim e não cortar-me.

Anônimo disse...

Letícia;

Vc dá o endereço de um Hospital em São Paulo, mas vc conhece algum no Rio?

Minha filha sofre de cutting e acabei sabendo q segundo estatísticas gringas, 12% dos adolescentes praticam algum tipo de automutilação! É um número expressivo demais para não termos notícias!!!

Vc conhece ALGUM grupo de MÃES???? Minha filha já está tendo ajuda psiquiátrica e psicológica, mas sinto q se trocasse com outras mães q passam o q eu passo, talvez eu possa ajudá-la melhor.

Muito grata:

Sandra Sofia

Leticia Lacerda disse...

Olá, Sandra!

Os dados são realmente alarmantes!
O mais preocupante, é que muitas pessoas desconhecem a existência deste transtorno, e isso só aumenta o tormento dos portadores, que sofrem em silêncio.
É importante que sua filha continue com o acompanhamento do psiquiatra e psicóloga, mas também é fundamental que ela aprenda a controlar o comportamento impulsivo (o cutting é um transtorno do impulso), o que faz com que ela se corte.
Nunca ouvi falar em nenhum grupo de mães, mas se isso lhe ajudar, eu conheço o Grupo CUTTING no IMGroups, que permite conversar em tempo real (como no MSN) com pessoas que sofrem deste transtorno. Basta adicionar o endereço group1095121@groupsim.com , e após ser aceito pela moderadora, você poderá ter contato com outras pessoas que sofrem do mesmo problema de sua filha, e quem sabe assim, trocar novas experiências.
Estou em São Paulo, e não conheço um local no Rio onde você possa buscar ajuda.
Existem poucos especialistas neste tema no Brasil, então, as chances são maiores de encontrar este tipo de especialista em Universidades.
Há algum tempo li algo sobre o atendimento prestado no IPUB da UFRJ. Creio que você possa recorrer a eles.
Os fones do IPUB são: (21) 3873-5540 e 3873-5507.

Desejo boa sorte a você e à sua filha!

Abraços!

Anônimo disse...

Letícia;

Obrigada pela pronta resposta! Ligarei Segunda mesmo.

Quanto ao comportamento impulsivo, existe na rede um movimento chamado PROJETO BORBOLETA (Butterfly project) q ajuda (e muito segundo minha filha), mas infelizmente é em Inglês.

É muito simples, é só desenhar uma borboleta no lugar onde a pessoa se auto-mutila. Se a borboleta desvanecer significa q ela "voou para ser livre" e a pessoa, não se mutilou. Alguns escrevem também o nome de alguém importante nesta luta. Segundo soube, ao ver a borboleta ou o nome, os faz parar para pensar naquilo q estão fazendo e não seguir o impulso.

Também existe o TO WRITE LOVE ON HER ARMS (escrever AMOR nos braços dela), infelizmente também em Inglês, um verdadeiro portal sobre o tema, com vááárias iniciativas q não existem no Brasil, como palestras, shows, link de site q posta fotos da pessoa com um cartaz dizendo o seus maiores sonhos e seus piores pesadelos, enfim... ÓTIMAS inciativas... Gringas.

Fica aí a dica...

Grata:
Sandar Sofia

Leticia Lacerda disse...

Sandra, acabei de visitar o TWLOHA.
Lindo! Muito bom mesmo. Colocarei como sugestão de leitura no post.
Obrigada pela sugestão.

Abraços!

Anônimo disse...

Oi Letícia, q bom q pude ajudar. :)

Vi q vc colocou o link do TWLOHA, mas não colocou nada do Projeto Borboleta, talvez pq seja mais difícil de achar. É verdade, não tem um website específico.

Minha filha me explicou q é algo meio boca-a-boca, como tantas coisas de adolescentes, mas na web encontra-se várias imagens de braços com borboletas desenhadas.

Quem quiser saber mais, é só dar um Google em "BUTTERFLY PROJECT SELF-HARM" (Ctrl + C)

Abraço;
Sandra Sofia

Leticia Lacerda disse...

Olá, Sandra!
Muito obrigada pela colaboração.
Vou adicionar a informação ao post.

Um grande abraço!

Anônimo disse...

eu preciso de ajuda. x.x alguem pode me ajudar?

há grupos online de ajuda a pessoas que se cortam??? x.x

quero parar.

Anônimo disse...

Acabei de descobrir que minha filha de 14 anos se corta. Estou desesperada...sou do interior do RJ....e tenho medo dw não te muito recurso.
Achei que fosse algo passageiro, mas lendo tudo no blog e os cometarios, fiquei mais assustada e perdida...
Vou procurar ajuda medica amanhã mesmo.... se puderem me ajudar, precisava falar sobre o assunto...estou muito perdida e assustada

†Stay Strong† disse...

Oi, eu tenho 12 anos ..
Eu também sofro de Auto-Mutilação, & problemas com auto estima ..

Eu faço, isso por que eu sofro bullying, na escola .. Eu fico, com medo raiva odio slá .. Tbm vejo, meus pais brigarem, as vesses minha mãe fica estresada comigo do nada .
Eu tenho medo de contar isso para os meus pais, principalmente da reação da minha mãe ..

Será que você, pode me ajudar ou dar algum conselho ?'

Leticia Lacerda disse...

RESPOSTA A "ANÔNIMO" DE 12 de abril de 2012 20:28
O melhor passo é procurar ajuda de um especialista médico (psiquiatra) e psicólogo, já que estes profissionais poderão lhe oferecer o tratamento adequado a este disturbio.
O Grupo CUTTING no IMGroups, que permite conversar em tempo real (como no MSN) com pessoas que sofrem deste transtorno. Basta adicionar o endereço group1095121@groupsim.com , e após ser aceito pela moderadora, você poderá ter contato com outras pessoas que sofrem do mesmo problema de sua filha, e quem sabe assim, trocar novas experiências.

Abraços!

Leticia Lacerda disse...

RESPOSTA A "ANÔNIMO" DE 13 de abril de 2012 19:56
É importante a ajuda profissional, pois como este transtorno é uma consequência de outro transtorno psiquiátrica de base.
O profissional pode ajudar sua filha a trabalhar o impulso, a ansiedade e a depressão geralmente associado a este quadro.
Quaisquer dúvidas que você tenha, pode utilizar este espaço para obter maiores informações.

Abraços!

Leticia Lacerda disse...

RESPOSTA A STAY STRONG:


Oi, eu tenho 12 anos ..
Eu também sofro de Auto-Mutilação, & problemas com auto estima ..

Eu faço, isso por que eu sofro bullying, na escola .. Eu fico, com medo raiva odio slá .. Tbm vejo, meus pais brigarem, as vesses minha mãe fica estresada comigo do nada .
Eu tenho medo de contar isso para os meus pais, principalmente da reação da minha mãe ..

Será que você, pode me ajudar ou dar algum conselho ?'

Vejo que você é muito novinho (a). É importante que você entenda que existem certas situações às quais você não pode mudar, como os problemas conjugais dos seus pais. Este é um problema DELES e somente ELES podem mudar a situação. Sei o quanto isso afeta a vida de um adolescente (eu também passei por este tipo de problema), mas o melhor que você deve fazer é não tentar manter-se neutro, e não ficar sofrendo com este tipo de situação. Cada coisa a seu tempo. Você não é casado (a) e nem é um adulto, portanto, não fique se martirizando com esse tipo de coisa. Quanto ao bulling, procure a direção da sua escola e diga o que está acontecendo, bem como os problemas psicológicos que isso tem lhe causado. Informe seus pais sobre este fato também.
Identifique com qual membro da familia (pai ou mãe) você tem mais liberdade para se abrir e explicar o que está acontecendo, diga a eles sobre sua angústia, o que as brigas deles tem causado a você, e procure apoio de um especialista. Peça a seus pais que os levem a uma consulta. Você pode marcar com um psiquiátra ou psicólogo ou ambos (esse é o melhor).
Você mal saiu da infância. Ainda não tem estrutura psicológica para enfrentar tudo isso sozinho. Peça ajuda da sua familia para passar por esta fase. Caso queira, pode mandar email para allanaveronesipink@hotmail.com para obter maiores informações e apoio.

Um abraço !

daya disse...

Eu também sofro de Auto-Mutilação.. é muito dificil falar sobre isso.. eu começei deste meus 15 anos por problemas em casa e na escola, então ficava com muito odio e me cortava e chorava muito.. hoje estou com 17 anos e tem quase um mês que não me corto, estou tentando para com isso mas tem hora que vem uma voltade enorme de me corta.. vou começar a fazer essa Borboleta acho que vai me ajudar muito..Obrigada pela dica.

Marcio Azevedo disse...

Boa noite!

Ontem descobri, por relato da minha filha de 15 anos, que ela pratica CUTTING, estou bastante abalado mas disposto a ajudá-la, numa conversa bastante franca comigo, ela relatou-me que algumas de suas amigas tambem realizam a mesma prática. Gostaria de saber se vc conhece aqui na cidade de Campinas, algum grupo de auto ajuda especializado neste tipo de assunto.

Obrigado...

Leticia Lacerda disse...

Resposta ao comentário de "Daya" de 21 de abril de 2012 21:34 - Primeiramente, peço desculpas pela demora em lhe responder.
Espero que você continue forte em seu propósito! Que sua pele troque inúmeras marcas por inúmeras borboletas lindas! Seja forte!!!

Abraços!

Leticia Lacerda disse...

Resposta ao comentário de Márcio Azevedo de 20 de maio de 2012 19:32 - Primeiramente, peço desculpas pela demora em lhe responder.
O cutting é uma prática mais comum do que podemos imaginar, mas por incrivel que pareça, existem poucos especialistas no assunto.
O primeiro passo é deixar o preconceito de lado, e buscar ajuda de um profissional (psiquiatra e psicólogo).
A adolecência é uma fase critica na vida do ser humano. É uma fase em que se descobre o mundo, porém, e a fase onde o mundo pressiona um individuo em formação a assumir as responsabilidade de um adulto. São amores, medos, cobranças, obrigações, decisões (o que farei do meu futuro?)... Enfim... fica dificil lidar com tantos sentimentos conturbados, e o cutting acaba sendo uma válvula de escape para esse mundo que ela está descobrindo agora.
Você pode verificar se a Unicamp tem especialistas neste assunto. É uma grande instituição, e creio que eles poderão lhe auxiliar.
Segue o Site do Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da Unicamp: http://www.fcm.unicamp.br/fcm/departamentos/departamento-de-psicologia-medica-e-psiquiatria

Esteja sempre ao lado de sua filha, ainda que você não compreenda suas atitudes e pensamentos. É nosso dever de pais estar ao lado de nossos filhos nestas horas!

Abraços!

Anônimo disse...

Oi, eu tenho 12 anos e comecei com isso as 11, porém, parei e voltei a fazer denovo esse ano.
Eu tenho vários motivos, um deles é não conhecer meu pai, quando eu era pequena meu pai deixou eu e minha mãe e simplismente 'sumiu'! 1 ano depois, ela encontrou um homem, eles se casaram e tiveram um filho, meu irmão, ele me trata como realmente filha dele, mais os pais dele não me consideram netas deles, e sempre falam coisas do tipo, me excluindo, me sentindo uma completa estranha perto deles.
O outro motivo é que eu muitas vezes sou humilhada por ser belieber e lovatic, me zooam por ter espinhas...
Não gosto de falar isso pra ninguém...Mas como eu encontro no twitter muitas beliebers e lovatics que passam pelo mesmo que eu nósmuitas vezes ajudamos umas as outras, o tumblr também é bom pra essas coisas pois lá muitas garotas como nós fazem textos sobre isso, e escrevem textos que ajudam a axpressar os sentimentos.

Bjoos!!

tarick nunes disse...

gente tenho 14 anos me mutilo deis dos 8 anos eu estava na sala de aula né ai vi um dos meus amigos fazendo um nome uma letra no braço com uma tesoura, eu fiz o mesmo comecei a me sentir incrível comecei a fazer vários nomes a ter ódio das pessoas, a ficar triste,ter ciumes e vão ai eu comecei a me cortar e me sentia bem melhor e mais aliviado, comecei a fazer e fazer e fazer quando vi já estava pelo corpo todo barriga,pernas,braços e mãos, fiquei 3 dias sem comer nada com depressão triste não saia da cama fechei meu quarto todo não queria ver ninguém, fiquei internado 3 semanas por causa disso, na escola quando eu estava no 6 ano eu conheci uma menina chamada mayane só que nunca falei com ela adicionei ela no orkut e começamos a conversa ela virou minha melhor amiga, depois disso ela me apresentou lorrany, que também me adicionou no orkut e no msn conversamos bastante contei sobre mim um pouco e ela sobre ela, ficamos meses e meses conversando ate que esse ano eu fui pra mesma sala que ela a gente hoje somos melhores amigos e não só amigos como ela me ama e eu amo ela estamos namorando a 4 meses e já nos conhecemos a 1 ano, ela me ajudou muito amo tanto ela hoje que ela pediu pra mim parar eu parei por que ela falou que se eu não parasse ia me deixar então tomei atitude conversei com ela desabafo muito com a psicologa da escola não tudo mais só oque me incomoda de menos, ainda tenho muito Ódio e ciumes dela mais eu escondo isso dela por que ela tem muitos amigos e eu não gosto mais eu tenho que conviver com isso se não vou perder a unica razão pra mim parar com isso...
bjus gente isso e um pouquinho de mim..

Fraancine G. disse...

Olá Allana, você não tem noção de como me ajudou. Gostei bastante dessa história da borboleta. Tenho poucas pessoas por mim mas são essas poucas que me mantem viva. Vou me inspirar nesse blog e seguir a minha vida, e sempre que sentir vontade de me cortar vou fazer a borboleta. E pode ter certeza nunca vou esquecer que você fez parte do pequeno grupo de pessoas que me ajudou, e um dia seu nome vai estar em uma das minhas borboletas. Obrigado linda, beijos ..se cuida!

Anônimo disse...

Tenho 13 anos, conecei a praticar o cutting a uns 3 meses. No começo era só por brincadeira mas agora não consigo parar. Sempre que acontece algo que eu não goste me tranco no meu quarto e me corto, no momento só corto o braço e não quero mais continuar a fezer isso. Tenho medo de contar para meu pai, tenho medo da reação dele. A última vez que eu fiz foi ontem. A minha melhor amiga sabe que me cortei umas duas vezes, não tenho coragem de dizem que continuo me cortando. Resolvi procurar sobre esse assunto hoje, como não sabia o nome que isso tinha comecei a colocar no google coisas meio que 'a alguma doença para pessoas que se machucam de proposito' entre outras coisas até achar o seu blog.
Estou com medo de não conseguir parar.
Sempre que eu me corto eu coloco blusas de manga comprida para meu pai não ver.
Fico com medo de alguém me chamar de 'maluca' ou coisas piores.
Moro em Ponta Porã-MS e gostaria de saber se aqui na minha cidade tem algum lugar para mim poder buscar ajuda.
Pode me ajudar?
Adorei o blog...

Anônimo disse...

Eu estou começando a sofe a automutilação tambem bom eu acho). Eu e minha mãe não estamos mais no entendendo aqui em casa...mim sinto cada vez mais distante dela por causa das brigas e tudo er mutivo para as brigas...e sempre depois das brigas vou para o quarto e mordo meu braço ate aliviar a raiva,depois enfaixo o braço pq aparessem mt as marcas e se pergutaren o que acontesseu? eu digo que mim machuquei jogando volei ou coisa assim..ja tentei parar porem sempre tenho recaidas...não é todo dia que mim mordo, so quando tenho brigas com minha mãe...que tão sendo cada vez mais frequentes...Tentei falar com ela, ela disse pro meu pai acho que ela num levou muito a serio não..:( ..Não sei mais o que eu faço...ja tenho marcas com mais de 1 semana que ficam as sicatrizes acho que as marcas que ficaram ja foram umas 4...

Anônimo disse...

Olá, tenho 20 anos, a 4 anos faço tratamento psiquiatrico. Por ser um assunto muito "negligenciado" na minha opnião, ainda não consegui superar este habito. Contudo, hoje ja estou muito melhor psicologicamente, mas mesmo sem motivo emocional, ainda sinto aquela "vontade" que vai tomando cada vez mais espaço em minha cabeça de se cortar, a ponto de voltar a faze-lo. Gostaria de saber se outras pessoas tambem começam a se cortar, a partir de um tempo, sem algum motivo emocional. Agradeço a atenção.

Anônimo disse...

Anônima,li seu comentário e te digo,que nós precisamos de ajuda nessa vida,mas nós também temos que nos ajudar.Eu nunca me automutilei,mas já sofri estupro por um marginal,armado,que me ameaçou o tempo todo.Fui parar numa psiquiatra e tomei calmante por um ano e dois meses,ou seja,até a hora que eu decidi que devia parar.Ainda continuei mal,porque à noite,aquela sensação de morte sempre voltava.Um dia acordei assim e comecei a trabalhar minha cabeça,assim não tive mais esse sintoma.Ainda hoje,o pânico tenta voltar,mas eu repito para mim que eu não tenho nada e assim fico bem.Se você ou alguém quiser conversar comigo,me adiciona no face,porque acho que nós temos que encarar a vida e parar de sofrer por coisas que não nos acrescenta nada na vida.Meu face: Laura Martins Alves

Anônimo disse...

Oi, eu estava procurando mais informações sobre um cutting..
Eu pratico desde o começo do ano, não consigo as parar, tenho marcas e ferimentos graves.. Ja estou frequentando um psiquiatra assim que minha mãe descobriu..
No começo era só para aliviar um ou dois problemas mas depois piorou, eu passei a usar casaco o ano todo na escola mesmo com muito calor, não tirava por medo do qu as pessoas iriam falar. Por favor, que isso seja mostrado mas em redes sociais para ajudar meninas quem fazem o mesmo..
Obrigada.

Anônimo disse...

Bem Haja Leticia por este seu post sobre a auto-mutilação.
Sou Portuguesa, e ao ter passado por esta situação dentro de casa, escrevi um livro sobre o lado de quem vive, observa e pode ajudar quem está a passar pelo processo de cutting.
Sei, a dor imensa que sentem. Sei, que não o fazem para chamar a atenção.
Sei os meses que acompanhei com amor o meu filho, quer em casa quer nas consultas psiquiátricas.
Passaram-se 5 anos (já perto de 6 anos) e nunca mais ele praticou o cutting. É um jovem feliz, lutador.
Tem tratamento sim. Podem existir recaídas. Essencial em conjunto com a terapia, o amor incondicional de quem os ama, não existir vergonha, preconceitos ou tabus. De uma vez por todas há que aceitar que o cérebro é tão passível de adoecer como qualquer outro orgão. Quase sempre existe uma patologia subjacente ao cutting... desde depressão, esquizofrenia, bipolaridade etc. Mas todos estes transtornos que não permitem saber lidar com as emoções podem ser controlados. O meu filho tinha uma depressão major.
Força a todos! Recorram a ajuda, acreditem que podem ultrapassar e a quem tem familiares ou amigos que reconheça os sintomas... alerte, dê afecto, nunca. nunca ter vergonha ou "marginalizar".
Beijos
Joana Carvalho

Anônimo disse...

bom eu estou sofrendo pois sou uma pessoa que muita vezes não tenho sentido na minha vida e sou verdadeiramente um kra depressivo...mais olha eu acabei me surpreendendo e estou sofrendo a bessa minha namorada sempre me falou de pessoas que tinham essa doença e dizia que gostavam muito de ajuda-las,mais descobrir que ela tem essa doença a alguns anos e não sei o que eu faço como posso ajuda-la? como posso faze-la feliz...?e me deixar feliz novamente?

rita disse...

Boa tarde, quem eu posso procurar no RJ capital para uma ajuda referente a isso?

Anônimo disse...

oi, sou uma mãe desesperada, descobri que meu filho de 14 anos se auto-mutila, não sei direito o que fazer,pois ele não quer ajuda, diz que não quer falar, aí resolvi procurar na net e encontrei este site, li tudo..., vou continuar conversando com ele para procurar-mos ajuda...

Anônimo disse...

Letícia, peço por favor que apague meu comentário neste link http://passeissoadiante.blogspot.com/2011/04/automutilacao-ou-cutting.html?showComment=1320159941798#c1996338657250734469

(Conteúdo do comentário: "Anônimo disse...
Olá pessoal. Eu pratiquei automutilação durante anos na minha adolescência mas consegui sair do problema. Hoje estou com 34 anos. Se alguém quiser uma amiga ou simplesmente desabafar, podem me escrever. Meu e-mail é euzinha_doglover@hotmail.com. Coloquem "Automutilação" no assunto do e-mail para evitar que vá para o Lixo Eletrônico.
1 de novembro de 2011 08:05").

Eu me prontifiquei a dar ajuda mas agora não estou tendo mais tempo. Muito obrigada.

Anônimo disse...

Oi eu tenho 16 anos me chamo Luigi e tenho sofrido com a automutilação a um bom tempo, por volta dos meus 14 anos comecei a me cortar escondido apesar de que meus pais acabaram descobrindo fiquei um bom tempo na prática e consegui sair agora com 16 anos voltei a ter problemas com o cutting estou assustado por que tenho mais informações e consequentemente novos meios de me machucar hoje mesmo comprei uma navalha e escrevi a palavra "FAT" nas minhas coxas estou esgotado fisicamente e mentalmente, meus braços mal se recuperaram da minha ultima crise não quero procurar por um psicologo por que nao quero que minha familia saiba que voltei a praticar a automutilação ): o que devo fazer ?

Anônimo disse...

Tenho um filho de 13 anos, e ha 2 meses descobri que ele está se automutilando. Pra mim, foi um choque, porque meu filho é lindo em tudo, lindo de personalidade, de comprotamento, de responsabilidade.
Entrei em desespero e busquei resposta, me culpei. Mas busquei tambem ajuda, levei-o ao psicologo, está fazendo terapia. Ate agora a pouco achava que ele estava melhor. Mas pra minha angustia acabei de achar mais cortes em seu braço. Meu Deus, amanha vou procurar tambem psiquiatra. meu coraçao está sagrando de dor, pena, preocupaçao e culpa, por nao saber como ajudar meu filho amado.

Anonimo disse...

Eu tb descobri semana passada que minha filha de 13 anos também se corta, não tenho palavras.....faço do comentário acima minhas palavras....conheci ontem esse blog e fiquei feliz em saber que tem o programa do hosp. Das clínicas mencionada em seu blog Letícia, entretanto liguei hj e é para maiores de 18 anos o tratamento....não entendi, pois a maioria que sofrem desse mal são crianças....

Anonimo disse...

Será que você conhece outros profissionais que sabem lidar com esse transtorno para me fornecer, pois isso ainda é pouco falado e quase não tem profissionais capacitados para ajudar-nos, e infelizmente esse programa citado no blog não trata de criança, que são as que mais sofrem desse mal....muito obrigada por ler e responder! E sinceramente quando minha filha sair dessa, não sei como mais vou fazer algo para ajudar as outras mães, pois é muito triste não ter acesso ou quem possa ajudar em algo tão sério!

Anônimo disse...

Tenho 14 anos e passei a me cortar desde que eu me sinto angustiada com problemas que talvez eu mesma crie, tenho medo de contar aos meus pais e eles brigarem comigo, me levarem a um psicologo e pscologo falar que é só uma fase e eu ser um motivo de decepçao!! Por eu ser baixinha as pessoas ficam me zoando e eu odeio o meu corpo, detesto qualquer espelho, nao vejo em mim qualquer qualidade! Eu tenho uma amiga que se preocoupa comigo,ela simplismente me ouve e me deixa falar,chorar e parece que depois disso tudo aquilo passa. Eu queria que com os meus pais tbm fosse assim. Meu pai sofre com problemas de depressao, tenho medo que ele fique mais ainda com esse meu problema!!
Adorei a ideia da borboleta!!! Vou começar a usar!! Obrigada por postar isso, me identifiqui muito com alguns depoimentos!!

Anônimo disse...

Olá, tenho 14 anos, e estou com medo de estar com inicio de cutting. A primeira vez aconteceu quando terminei com meu namorado, me enchi de arranhoes nas pernas e mordidas nos braços. A sengunda vez foi dps de uma discuçao com uma prima minha, novamente me enchi de mordidas e arranhos. Dps disso sempre que discuto com qualquer pessoal, sinto essa vontade. Hoje, discuti feio com minha melhor amiga, e senti grande vontade de me cortar, nao consegui resistir e cortei com faca de serra a ponta do meu dedo, e nao consigo parar de chorar. Daí veio a ideia de pesquisar sobre o assunto. Você acha que eu realmente posso estar com inicio de cutting?

Louyse Castro disse...

Minha borboleta já morreu várias vezes essa semana.

Maria Karoline Domingues disse...

Queria muita uma ajuda tenho 15 anos e já vai fazer 5 meses que me corto pq sofro bullyng na escola,já falei isso pra uma amiga minha mais ela disse que eu tava ficando louca e nunca mais falou comigo porque eu faço isso,agora eu quero parar com isso pq eu sinto que de alguma maneira eu vou me afastando das pessoas que eu mais amo...todo dia bate uma vontade absurda de me cortar isso já é um vicio :/

Anônimo disse...

Eu passei por isso a uns dois anos atrás. Me cortava todo os dias praticamente. Tinha boderline, e ainda mais junto com o cutting. Foi dificil, muito. Não é fácil parar. As vezes tenho uma recaida mas gracas a deus eu consegui parar com o cutting.

Anônimo disse...

boa noite, faz dois meses q descobri q minha amada filha de 15 anos se corta, ela nao sabia de minha descoberta mas 15 dias atras falei pra ela e disse para procurarmos ajuda porem ela me garantiu q estava parando q nao precisa de ajuda.
sera q ela consegue sozinha? confio nela mas por td q ja pesquisei não tenho certeza.... o q vcs acham?
grata pela atenção

Anônimo disse...

Eu faço isso mas não tnh dificuldade de falar nem de cantar( adoro um microfone), nem de chorar em público, nem na frente da minha amiga nem da minha familha,pl contrario choro de soluçar e se afogar qdo vem aquela tristeza, ou se eu me emocionar com alguma coisa, eu acho tnh depressão mas eu quis fazer uma tatoo pro Chorão qdo ele morreu então eu peguei uma lapiseira sem grafite e esquentei a ponta numa vela e fui raspando doeu para caralho,inflamou mas aparece até hoje no meu braço CHORÃO ETERNO mesmo meio mal feito, eu fiz.

Anônimo disse...

tenho 14 anos e quando discuto com alguem, fecho me no meu quarto e pego num x-ato e corto me... nao consigo chorar ao pe de ninguem... quando tenho vontade de chorar fecho-me no quarto e choro. as vezes penso que tenho depressao, mas e possivel ter depressao com 14 anos??

Anônimo disse...

oi tenho 18 anos, e venho a sofrer de automutilação a muito tempo, bem eu nem sei muito qual e a causa que eu faço isso, não to conseguindo me controlar, eu choro poucas vezes qndo faço, mas n choro mas, n ha motivo as vzes e eu faço mesmo assim.. qria conversar com alguem.. meu email e denice-cat@live.com meu numero e 09392043753.. muito obrigada..

Anônimo disse...

Eu sofro de cutting é não sei oque fazer
Minha mãe é muito chata com esse assunto minha irma me pegou me cortando e ela falou que tudo isso era pra chamar a atençao eu tenho vergonha das marcas de corte no meu corpo e cm se diz p proprio blog usso roupas que cobre meus cortes é todo final do ano iremos para praia eu nai sei oque fazer
Sabe pensei e fala com minha outra irma só que ela é policial e tem o jeito grosso dela igual a todas policias
Eu moro em taubate enterior de sp
Se alguem puder me ajuda meu
Numero ai+5512982855483
Me manda sms ou whatsapp por favor eu preciso de ajuda

Ana Luiza Silva Rocha disse...

Eu tbm faço isso as vezes e queria conhece-lo(a) pra q possa te ajudar estou a 2 meses sem praticar nem um tipo de automutilaçao.

GENAINE disse...

ME AJUDEM.. NÃO CONSIGO MAIS PARAR

Anônimo disse...

eu comecei com isso pois estava com notas baixas na escola, eu sempre arrumava problemas, confusões, brigas, etc. e meu irmão mais velho sempre foi muito cretinho, nunca arrumou confusão, nunca ficou de recuperação, ele é um ótimo filho, e eu me sinto o oposto dele, eu sempre quis ser igual a ele, por isso brigamos as vezes, eu lembro do meu primeiro corte, eu tinha 13 anos, e agora eu tenho 16 e não consigo parar, isso virou um tipo de vicio, eu quero muito parar mais não sei como, eu tenho muitas cicatrizes, eu sempre gostei de ir na praia e piscina mais agora tem três anos que não vou, eu quero muito parar mais não quero que meus pais saibam, eles iriam achar que eu sou louca, mais eu não sou, por favor me ajude... bjs

Jefferson Pereira disse...

sou jefferson eu me corto e estava me tratando mas percebe que nao tem cura entao nao adianta trata uma doenca que nao tem cura é melhor morrer bom eu penso assim minha mente é toda negativa eu sou assim eu penso assim e pronto eu sou assim cabeca dura. Gostei muito do blog.

Jefferson Pereira disse...

oi leticia sofro de auto-mutilacao minha vida é um filme de terro nao moro com os meus pais pq eles me abondonaram aos 6 meses de nascido fui criado com minha avó entao minha avó morreu quando eu tinho 15anos entao fiquei em. depressao e dai comeci a me corta hoje tenho 18 anos e ainda sofro muito nao consigo para de me corta e tb nao tenho apoio de nimguem a maioria das pessoa da minha familia. so me critica deiz que e maricagi. entao eu so penso eu morte em me corta sinto que nimguem me ama eu nao aguento mas nai sei o q fazer tenho varios poblema

Anônimo disse...

Oi, meu nome é Bárbara, tenho 17 anos, comecei a me mutilar a pouco tempo, tenho noção que é errado e de começo pensei que teria controle e pararia quando eu quisesse, isso não foi verdade, tentei parar não consegui, até que algumas de minhas amigas descobriram, e começaram a me ajudar, fiquei um mês sem me cortar, até que um dia aconteceu algo que não esperei, e me mutilei de novo, os cortes foram mais fundo (não tão funtos a ponto de precisar de pontos), fundos o suficiênte para sentir dor por 3 dias, ando lendo muito sobre isso, e realmente quero ajudar quem se mutila, vai fazer 1 mês de novo que não tenho nem vontade de fazer isso, e bom ver o assunto sendo abortado, pois muitos julgam sem saber direito o que é.
Se alguém quiser conversar comigo sobre isso e só me seguir no twitter @crazy_illusory2 qualquer coisa passo o wpp por la.

Priscilla disse...

Olá Letícia,
Primeiro quero te agradecer por compartilhar o seu conhecimento.
Encontrei seu blog procurando uma bibliografia sobre esse tema. Achei muito esclarecedor, parabéns.
Fiquei impressionada com o quantidade de pessoas que praticam o cutting.
No Hospital das Clínicas além do atendimento gratuito existe algum curso para profissionais que estão se deparando com esses casos na clínica?
Tenho procurado sem sucesso, livros e trabalhos científicos sobre o cutting. O que eu tenho encontrado são pesquisas sobre automutiliação associada a transtornos psiquiátricos graves.
Além das bibliografias do seu blog você tem alguma outra indicação?
Sou psicóloga e quero desenvolver meu trabalho de conclusão de pós graduação sobre esse tema.
Parabéns pelo blog.Obrigada.
Priscilla

Priscilla disse...

Olá Letícia,
Primeiro quero te agradecer por compartilhar o seu conhecimento.
Encontrei seu blog procurando uma bibliografia sobre esse tema. Achei muito esclarecedor, parabéns.
Fiquei impressionada com o quantidade de pessoas que praticam o cutting.
No Hospital das Clínicas além do atendimento gratuito existe algum curso para profissionais que estão se deparando com esses casos na clínica?
Tenho procurado sem sucesso, livros e trabalhos científicos sobre o cutting. O que eu tenho encontrado são pesquisas sobre automutiliação associada a transtornos psiquiátricos graves.
Além das bibliografias do seu blog você tem alguma outra indicação?
Sou psicóloga e quero desenvolver meu trabalho de conclusão de pós graduação sobre esse tema.
Parabéns pelo blog.Obrigada.
Priscilla

Anônimo disse...

Estou com um familiar passando por essa situação. De todas as fontes que busquei informação, o seu blog foi o que mais me ajudou. Parabéns!

Anônimo disse...

Ah mais o menos 2 meses tenho praticado alto mutilação da última vez cheguei a desmaiar tamanho o desespero,acredito que tenho um transtorno psiquiátrico,talvez depressão, acredito que as pessoas xegam ao ponto de fazer isso e essa e a maneira de expressamos nossa dor,angustias. Isso e muito triste e soh Deus sabe o quando sofro a olhar as cicatrizes que estou deixando no meu corpo. Seu texto e muito esclarecedor.

Anônimo disse...

oi tenho uma sobrinha q se automutila já a três estamos passando ela pelos especialistas só q mesmo assim ela continua se cortando . como posso ajudar ela a parar de fazer isso com ela mesmo ? por favor nos ajude estamos desesperados.

jullyouri disse...

Sabe Leticia acho super legal, sua postagem sobre automutilação ou cutting, e como as pessoas que usam da automutilação são na sua maioria portadores de TPB eu achei fantastico vc postar mas não indique o hospital da clinicas pois quando voce liga para saber algo eles descartam logo voce dizendo que é bem complicado conseguir ter acesso a eles, que leva tempo para ser chamado, enfim tiram o corpo fora pois as cobaias que eles precisavam para os estudos deles ja devem estar completo. logo o Hospital das clinicas e seu departamento de psquiatria não passa de uma farsa. aconselho a voce dizer para as pessoas irem tentando ter consultas com psiquiatras, psicologo e terapeutas que cobram pelo serviço

Anônimo disse...

oi,a minha melhor amiga se alto multilava mas ela me falou o q passava e entao pra ela se sentir melhor tambem me cortei!desde entao ela nunca se cortou mais!ela fala q as vezes da vontade de se cortar mais ai ela lembra de mim e nao se corta!!!sera q vc achou q eu fiz errado???

Anônimo disse...

achei legal a ideia da borboleta!

Anônimo disse...

na minha cidade não tem tratamento pra iço, os médico não dão bola, eu faço iço por qq motivo, principalmnte qdo me sinto aprisionada ou qdo me sinto rejeitada. Meus amigo se afastaro de min qdo eu contei pra minha amiga e mostrei as marca pra ela, na certa ela conto pros outros e agora eu ñ tenho nmg mais pra conferçar; mnh vida não é ruim, mais podia ser melhior de eu encontrava um caminho certo. nAO USO DROGA NENHUMA, SÓ FUMO SIGARRO E TOMO MATE PQ SOU DO SUL. OBRIGADO PL ATENÇÃO. SEM MAIS... L. V. A

Anônimo disse...

É o seguinte eu tenho 13 anos e me automutilo
As pessoas do meu colegio descobriram e agora todos sabem inclusive os professores e se isso chegar aos ouvidos daqueles que me criam eu estou ferrada e nao sei oq fazer

Anônimo disse...

Oii .. Tenho 10 Anos , E Me Corto .. Comecei A Me Cortar Quando Eu Tinha 9 Anos , Já Que Enfrentava Problemas Em Casa , Desde Então , Parei Por 1 Ano Mais Ou Menos , Mais Depois , Os Problemas Resurgiram E Voltei A Fazer Oque Fazia Antes , Me Cortava Com Lámina De Barbear , Me Isolava Do Mundo , Principalmente Dos Meus Pais , Passava O Resto Do Dia Ouvindo Musica , No Meu Quarto , Mais O Tempo Passou Mais Uma Vez , E Parei .. Mais Voltei A Me Cortar Por Causa De Uma Garoto , Eu Sei Que Sou Muito Nova , Mais Foii Isso , Ele Queria O Meu Bem , Eu Sei Disso , Mais Ele Acabou Me Fazendo Mau , E Me Cortava Cada Vez Mais .. Tinha Parado Faz 2 Meses , Mais Não Sei O Por Que .. Ontem , Me Cortei Denovo , Acho Que É Por Causa De Não Ter Ninguem Para Desabafar Sobre Essas Coisas , Miinha Mãe ? Ela Acha Que Eu Faço Isso Para Me Amostrar , Mais Ela Sabe Que É Uma Doença ... Meu Pai ? Nem Pensar ! Se Ele Souber Que Eu Me Corto , Eu Acho Que Ele Enlouquece Completamente ! Bom .. Desde Então Procuro Ajuda Com 4 Amigas , E Agora , Um Tratamento Na Internert .. Tomara Que Isso De Certo ! Cansei De Sentir Dor ! Tenho Que Ser Forte , SEMPRE ! Obriigado Msm Pela Dica ! Bjjs ♡.♡

Anônimo disse...

eu corto me ha mais de um ano, tenho 15 anos nao consigo parar, eu quero mas nao paro de pensar nisso,a minha mae ja sabe e estou a ser acompanhada em psiquiatria, tomo mais de 10 antidepressivos e ansioliticos por dia e nunca mais fico bem. estou farta de ser forte, a minha vida já nao faz sentido, sinto me sozinha, nao consigo ir a escola, perdi todos os meus amigos e nao sei como vou voltar a ser a pessoa que era.
acho que ja nao ha solução e so penso em tomar 30 dos comprimidos que tenho em casa e dormir para sempre, sou um peso para todos, a minha mae esta sozinha com 3 crianças e desempregada e gasta mais de 500 euros por mes comigo em consultas e medicamentos. era melhor se desaparecesse. todos ficam melhor sem mim.

Anonimo disse...

Nunca pense assim!!! Pois para sua mar vc é importante e especial! Continue fazendo seu tratamento q vc irá se curar sim, creia.
Minha filha de 13 anos tb se mutilava, esta fazendo tratamento e completou 1ano e Graças a Deus faz mais de 8 meses q nao faz mais e ja diminuiu 4 remédios.
Ela faz tratamento no IPQ do Hosp. Das Clínicas em SP.

Tenha Fé e sua verdadeira Amiga é sua mãe.

Anônimo disse...

oi... tenho 17 anos, estou me cortando cada vez mais.... comecei com 14 anos, mas eram raros os cortes, mas agora é como um vício, não consigo passar um dia sem me cortar e cada dia eles tomam mais profundidade.... sinto medo d mim mesma.

Ilusões Aflingentes disse...

como faço para entrar em contato com vc?

Ilusões Aflingentes disse...

meu email é ilusoesafilgentes@gmail.com qualqur pessoa poderá entrar em contato comigo pois se como é isso tive e tenho problemas com o cutting e anorexia alcoolica. desde já agradecida!

Pedagogia 2013 disse...

Olá ! Quero deixar aqui o meu parabéns ao post, tenho uma sobrinha que está praticando cutting. é muito difícil lidar com essa situação. ela perdeu os pais e hoje eu peguei a tutela dela, estou pesquisando muito sobre o assunto e embora ela esteja sendo bem assistida,mesmo assim eu procuro mais informações sobre o assunto . Conheci o Projeto Borboleta por ela, eu gostei muito pq é uma maneira de ajudar a todos...Obrigada e mais uma vez parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

Oi , Meu nome é Amanda tenho 15 anos e sofro de Cutting desde os meus 13 anos , tudo começou quando eu discutia com a minha mãe , ela é muito ignorante e não se importa com nada , as vezes ela chegava do trabalho e eu ajudava ela nas tarefas de casa na ausêcia dela , quando ela chegava ela simplesmente nãome agradecia por nada que eu tinha feito e era super estupida comigo a gente discutia todos os dias e eu me trancava no quarto e me cortava , me cortava muito meus braços ficavam com varias cicatrizes , não saia de casa as vezes eu puxava meus cabelos com raiva de mim seila , eu fazia de tudo pra agradar minha mãe ela era tão ruim comigo :'( . Um dia ela descobriu que eu fazia isso , ela olhou bem nos meus olhos e me chamou de LOUCA , aquilo me deixou muito ruim , triste com raiva , ódio , como pode a minha mãe fazer aquilo comigo ?' Eu continuei me cortando mais dali pra frente foi bem pior , além de eu me cortar eu comecei a querer me machucar mais e mais comecei a dar socos nas paredes cortar minhas pernas e dar varios tapas na minha propria cara , minha mãe nunca expressava carinho nenhum a mim , e meus irmãos sabendo que eu fazia tudo aquilo me zuava de RETARDADA , me sentia muito mal ' ... Depois de tudo isso resolvi parar ,e hoje estou 1 ano e 8 meses sem me ferir :'( mais de vez em quando tomo cuidado pra não ter uma recaída , gostaria de ajudar pessoad que passam pelo o que eu passei dando conselhos e dicas ...
Parabéns pelo blog , é muito bom , existem varias pessoas que passam pelo o que eu passei ..
Obg , um bjo

Anônimo disse...

Eu tenho uma amiga que se corta . Isso me preocupa e ja tentei de varias formas ajuda-la , mas ela se nega à ter que ir em um Psicologo ou coisa do tipo . O que devo fazer ?

Anônimo disse...

Minha amiga se corta. Muitos amigos e familiares tentam ajuda-la, mas ela não consegue parar com o ritmo de se automutilar. Temos medo que as lâminas não satisfaça mais a dor emocional dela e ela queira se suicidar. O que faço?

Anônimo disse...

Minha irmã de 13 anos se corta. Mas não sei se é cutting, pois ela faz sempre que tem alguém perto, "deixa" que a gente perceba esse comportamento, além de forjar situações de crises nervosas e choros descontrolados. Eu particularmente acho que é fingimento, mas tenho medo de ver somente o que quero enxergar e não perceber que é sério que ela tem algum tipo de problema.
Minha irmã mais velha se cortava também, mas ela tinha/tem (não apresenta mais, mas também não fez tratamento algum) problemas mentais e psicológicos e se envolvia com drogas. Mas ela se cortava escondida com todas as características do cutting.
Eu apresentei depressão na adolescência também, sentia vontade de me bater e de vomitar, tomava todos os comprimidos que via pela frente e sentia pânico quando saia na Rua, mas aquilo era só meu. Busquei ajuda na música e no trabalho (comecei a trabalhar aos 15) e depois de algum tempo passou. Ainda sinto tristeza profunda, às vezes sem nem motivo, mas é só. Hoje luto com o medo das pessoas, a timidez extrema, mas nada que me atrapalhe a viver.
Tem histórico de depressão na família da minha mãe e também na do meu pai, meu pai tem dois tios que cometeram suicídio e um que matou a própria mãe e se matou depois.
Por causa desse histórico todo meu medo é da minha irmã desenvolver algo do tipo. Não entendo dessas coisas não sei se isso é hereditário, mas a dúvida permanecesse.
Ela se envolve em páginas de suicídio no Facebook, tem por herói um modelo que se matou. E na região onde moro esta ocorrendo suicídios em massa (tem grupos de "jogos" no whatsapp que se a pessoa erra a pergunta ela tem que se matar enforcada, três jovens já morreram).
Tenho muito muito medo.
Meu e-mail é lylsfakeprofile@hotmail.com me ajudem!

Anônimo disse...

Toda vez que acontece algo de ruim comigo, eu arranco uma mecha de cabelo, e eu não consigo parar, virou um vicio, e sempre acontece coisas ruins comigo! :(

Anônimo disse...

Procure tratamento medico,isso é uma doença e merece a devida atenção. No hospital das Clínicas tem tratamento...Não sei ao certo mas acho q essa doença chama tricotilomania. Não tenha vergonha vá atrás de ajuda!!!

Anônimo disse...

Eu sou uma A.M a 3 anos,e ja nao tenho possibilidade de parar,mais para aqueles que acabaram de comecar procure ajuda,antes que nao consigua mais parar.