Loading...

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

DEPOIMENTO DE UM BIPOLAR

 
Tenho medo de enlouquecer.
Ontem surtei com a minha mãe. Ninguém segura a gente em um momento de agressividade.
Fico muito irritado, alucinado mesmo, quando me perguntam: “Tudo bem?”. Sinto vontade de matar a pessoa! Fico com as minhas mãos coçando para grudar em seu pescoço e estrangulá-la!
Fico olhando para os outros e sentindo uma vontade louca de matá-los, de espancar a todos que estão na minha frente. Acho que sou perigoso às pessoas; tenho medo de fazer mal a elas.
Não suporto e não confio na minha mãe e nem no meu pai. Tenho raiva da minha ex-mulher, da minha filha, dos membros da igreja que freqüentava... Não suporto falar com quase ninguém, exceto algumas poucas pessoas. A única pessoa com quem me dou bem é com minha irmã, que me dá carinho e atenção.
Sinto vontade de me suicidar constantemente, de beber até cair, ou até mesmo de me mudar para bem longe, onde ninguém me conheça, mas o médico sempre me diz que não é bom ficar sozinho.
Não tenho vontade de fazer nada; a doença mudou até meu organismo.
Em certos momentos sinto vontade de bater nas pessoas. Nem saio na rua para não ter problemas, então me tranco em casa e tento esquecer tudo.
Estou afastado pelo INSS há um ano, e fico muito chateado quando vou passar pela perícia. Todos lá acham que eu estou bem e querem me dar alta, mas eu me sinto imprestável! Então afastam-me por mais dois meses, e o que eu recebo é gasto com meu tratamento.
Tenho outros problemas de saúde, e acho uma humilhação ter que implorar auxilio-doença; somos muito humilhados lá.
Sinto vontade de sumir! Perdi minha esposa e minha filha por causa deste problema. Separei-me há dois anos, e pedi que elas fossem para a casa dos pais da minha ex-mulher em uma cidade que fica a 3 800 km, para protegê-las de mim. Temia que em uma crise pudesse ficar agressivo e acabar machucando a ela ou à minha filha. Elas não acreditam que eu tenho uma doença e acham que estou mentindo, que me escondo atrás disso para não trabalhar e para não estar casado, dizem que nunca fui homem o suficiente, etc.
Sinto-me triste, sozinho, muito carente, feio, inferior, sem nenhuma alegria... Não agüento mais isso! A bipolaridade e a enorme depressão que sinto tomam conta de mim e sinto que estou morrendo aos poucos. Às vezes tenho vontade de me cortar todo com facas.
Tenho medo de um dia vir a amar alguém, pois acho que não estou pronto para isso. Também ainda não encontrei alguém que goste de mim...
No momento faço uso de Lítio, Risperidona e Clorpromazina diariamente, mas ainda assim sinto-me muito mal.
Queria muito voltar à minha vida normal, mas sinto que não tem jeito.


*Depoimento de Anjo_Noturno (Homem de 35 anos, separado há dois anos, diagnosticado o TAB a um ano. Hoje reside sozinho no interior de São Paulo).

 

24 comentários:

rcm disse...

Gostei muito, já tinha lido, mas cada vez que leio depoimentos como esse fico emocionado. vejo o quanto os bipolares são "julgados" pelos "normais". Parabéns pelo trabalho, tenho certeza, que muitos se beneficiaram com ele.

Allana Duarte disse...

Olá!
Achei interessante o fato de você ter colocado a palavra “NORMAIS” entre aspas. Isso passa essa idéia de segmentação, como se existissem dois grupos distintos: NORMAIS E ANORMAIS.
É como se um fosse melhor que o outro, ou um tivesse mais capacidade que o outro. Sabemos que isso não existe, mas muitos não sabem.
Esta falta de conhecimento gera o preconceito - pré-conceito, que é sim um pesado fardo que os portadores de transtornos mentais carregam. Caso tenham amigos e familiares presentes, podem receber alento, contudo, este fardo lhes é exclusivo.
Acho isso lamentável. Este tipo de mentalidade (a idéia de segmentação, de divisão) levou a atrocidades tais como o nazismo, por exemplo, e ainda hoje esta segmentação é latente na mente da maioria das pessoas...
Obrigada pelo seu post.

Um forte abraço!

Emilia Dolabela disse...

sou bipolar, faço uso de lítio e lamitor,tenho 53 anos, vim descobrir a cinco ano, tive muitos traumas, era super agitada desde menina, brigava muito na rua, na escola, em casa, quando adolescente, nem se fala, mas nunca envolvi com drogas, so fumei uns 5 anos e parei, adoro adrenalina, esportes radicais, vivia em um mundo paralelo,era uma felicidade extrema, mas depois a depressão, tentei algumas vezes suicidio, minha família, como minha mãe, me batia muito, batia minha cabeça na parede de tanto que eu era complicada,fugi de casa aos 15 anos, fui parar na casa do tio, minha mãe avisou ele conseguiu me pegar, casei pela terceira vez, hoje sou feiz, mas tenho mesmo com a vinda crises, e as vezes me da vontade de parar com tudo, mas reconheci, percebi, que sou doente e tenho que me cuidar, sou enfermeira, trabalho no hospital das clinas, adoro minha profisão, mas ate descobrir, o que tinha, dei trabalho naquele hospital, brigava com todo mundo, eu gosto é de brigar, brigo, com o motorista de onibus, com o trocador, com minha familia toda, meu marido, quando estou surtando, mesmo com os bendidos remedios. Nao deixo de ir a uma consulta, falar de minha dor e alegria, das crises, sou catolica minha fé em Deus me fortalesse, vou levando, os bipolares tem que ficar longe dos que não tem preconceitos, que lhe dão carinho amor,... como meu esposo, que as vezes aguenta uma barra, Deus abençõe todos nós bipolares, não temos culpa de nossas fraquezas,vamos ficar atentos...e ter fé, obrigada.

Anônimo disse...

Eu sou bipolar....foi muito dificil eu aceitar isso porém estou feliz pois agora posso me cuidar sabendo oque tenho, a minha luta é diária, tenho crises constantes, no trabalho nem si fala, ou me adoram ou me odeiam, tem dias que dou conta de tudo em tempo recorde, em outros fico na cama vários dias sem conseguir ao menos ter consciência de quanto isso me prejudica, sou funcionária publica e estou readaptada, e a mesma tem validade de um ano depois tenho que renovar a perícia me mata porque eu tenho que repetir o que eles ja sabem tenho vontade avançar no pescoço deles, poeque não entendem? será que só vão acreditar em mim no dia em que morrer, ou então perder a razão de vez.. porque as vezes tenho a impressão que isso vai acontecer. Eu preciso cuidar das minhas filhas, e faço isso com muito sacrificio só Deus sabe o quanto tenho que esforçar para fazer coisas que para as outras pessoas são coisas simples mas pra mim., Deussss..As vezes eu acho que é culpa minha, eu penso que que si eu tivesse mais força de vontade seria diferente, eu até já tentei, mas toda vez que faço isso ou me desentendo com alguém ou causo algum transtorno até sério, por isso fico em casa e isso me causa prejuizo financeiro, tudo isso está acabando comigo aos poucos e tenho medo de um dia não resistir. acho que si não fosse minha família ja tinha desistido faz tempo...bjs amigos

Anônimo disse...

Me sinto como vc....mas ng entende e nao que entender...pra família é melhor jogar pra debaixo do tapete....Minha mãe acho que to emacumbada...rs....pois tenho delírios....enfim....estamos sós...eu tomo Seroquel a 20 dias e me sinto podre, mas me acalma...fiquei durante 6 anos sendo diagnosticada erradamente.....infelizmente faço parte da estatística...rs.....Soube a cerca de um mês....tenho fé que tudo ira melhorar....Quando tiver muito desesperado...Ore o Salmo 70, acredite! ajuda muito.

Anônimo disse...

DEUS é uma luz muito grande ele é o criador do universo,está em todos os lugares ao mesmo tempo,está dentro de cada um de nós e nos ama enfinitamente nos deu a vida e jesus cristo morreu cricificado e para nos dar a vida enfinita. nosso pai celestial e o dono e criador do verbo da vida,ele e jesus podem curar todos os males e doenças do nosso corpo.
por isso não tenha medo de dobrar os joelhos no chão humildimente e chamar pelo nome do nosso pai ele entrara em você no mesmo instante e se derramar suas lagrimas aceitando dentro do seu coração a bipolaridade vai desaparecer porque jesus e DEUS E É IMORTAL. é só chamar por ele (não tenham medo)

Leticia Lacerda disse...

Olá! Agradeço pela sua colaboração e postagem.
Por outro lado, a linha abordada neste Blog, é a de que a pessoa deve ter fé, mas não abandonar os tratamentos e terapias.
Seria leviano e irresponsável de nossa parte concordarmos publicamente que a fé CERTAMENTE por si só irá curar.
Acreditamos no poder da fé, mas a função deste Blog é explicar algumas patologias psiquiatricas, sempre orientando o paciente a nunca perder a fé, mas JAMAIS abandonar o tratamento.

Muito obrigada pela sua mensagem.

Abraços!

ESTABILIDADE??? disse...

Sou bipolar a mais de 32 anos e é um consolo ler esses comentários. É como se, de repente, alguém falasse a mesma língua que a minha. Como exemplo quando estamos na fase maníaca: meu Deus como é bom; não sofremos, somos os donos da verdade. Mas com o conhecimento de nossos sintomas acabamos percebendo que essa fase é muito perigosa tanto para nós, bipolares como para as pessoas que convivem conosco. A depressão: meu Deus como é dolorida. Nada somos quando dentro desta fase. Para mim o único refúgio é o meu quarto que outrora, antes da descoberta da bipolaridade, era um lugar limpíssimo e hoje é um lixo isso ao ver de uma pessoa que era extremamente maníaca com limpeza. Não acredito mais em psiquiatras apesar de não faltar as consultas e o mesmo se dá com a terapia.
As vezes me revolto e fico sem a medicação por alguns dias e penso que estou fazendo uma experiência tal qual os psiquiatras fazem conosco: sempre mudando a medicação. Fico vários dias sem me ater a limpeza pessoal e fico nervosa quando alguém da família me chama atenção para isso. Não acredito na fase de estabilidade pois esta fase é a das cobranças pelo que fizemos de errado, pelo sofrimento que levamos aos que amamos. Já tentei suicídio e me pergunto se realmente queria morrer pois ainda estou aqui neste mundo que se tornou meu cárcere. Mas um fato agradeço a Deus: não preciso mais ser humilhada com perícias médicas pois desde 1992 fui aposentada. Mas uma aposentadoria que envergonha a quem trabalhou mais de 15 anos, pois fui aposentada com o salário mínimo vigente sendo que durante 9 anos trabalhei em uma multi-nacional como secretária de departamento.
Sair na rua para fazer qualquer coisa é um martírio assim acabo saindo somente para as consultas e para a Igreja (algumas vezes). Gostaria de ter fé suficiente para clamar a Deus pela minha cura mas não consigo talvez por saber que o TBH não tem cura e acrescento NÃO TEM FASE DE ESTABILIDADE TAMBÉM.
Atualmente estou sendo medicada com: aripiprazol, oxalato de escitalopram, clonazepam e hemifumarato de quetiapina e que DEUS me ajude.

Leticia Lacerda disse...

Resposta ao comentário de "ESTABILIDADE???"
Vi no seu comentário um ponto muito positivo: você já se conhece bem ao ponto de reconhecer quando está em fase maniaca (nem todos percebem isso), já a fase depressiva é mais fácil de ser percebida, mas nem todos a reconhecem. Será que isto não é uma evolução (leia o post "RELATO DE UMA BIPOLAR: AUTOCONHECIMENTO É A BASE!").
Já cuidei de um Bipolar diagnosticado a 20 anos, que ainda não sabia distinguir estas fases, e você consegue!
Então eu lhe pergunto: Será que o tratamento não está MESMO fazendo efeito? Imagine como seria a sua vida se você não tivesse percebido que algo estava errado e buscado ajuda? Garanto-lhe que seria um martirio enorme!
Já ouvi de inúmeros portadores que eles se sentem "ratinhos de laboratório" com tantas trocas de medicamentos, mas quanto a isso, existem dois pontos que precisam ficar claros:
1) Descobrir qual a melhor droga e a dosagem, é algo complexo, porque não existe uma fórmula mágica. Um medicamento / dosagem que é adequada para um, pode não surtir o efeito desejado para outro. E ai, é preciso fazer testes, até achar a droga adequada ao seu caso. Os organismos são diferentes, e reagem de forma diferente, então, não existe "receita de bolo";
2) Nosso organismo muda! E tem mais, ele se "acostuma" à droga. Então, hoje você toma uma dosagem que é adequada, mas depois de um tempo, a dosagem precisa ser mudada, e até o medicamento precisa ser trocado. Então, não fique chateada com todas essas mudanças. Elas são necessárias.

Mantenha a fé (você disse que gosta de ir à igreja) e mantenha a fé nos tratamentos. É verdade que TBH não tem cura, mas é possivel amenizar os sintomas, e garantir que o portador tenha qualidade de vida. Vão existir altos e baixos sim, mas é preciso enxergar o TBH como se fosse uma doença crônica, tal como diabetes e hipertensão. Você tem oscilações de humor, o diabético põe sua vida em risco quando exagera nos doces e no àlcool, e o hipertenso também pode ser hospitalizado, se exagerar no sal.
Infelizmente é preciso aprender a conviver com estes detalhes tão importantes.
Aprender a conviver com a patologia é um grande passo para que o tratamento obtenha o máximo de efeito!

Abraços!

Anônimo disse...

Eu não sei se sou Bipolar, faço uso de ansiolítivos e anti-depressivos, mas a bipolaride é um traço muito fácil de ser notado, mas nas consultas psiquiatticas normalmente tenho vontade de matar o médico antes da consulta, então finjo estar bem com os remedinhos que elas passam, que por sinal nem fazem mais efeito. Tomo para não cair na armadilha da abstinência, pq alèm de tudo, tem um agravante da dependência química do RIVOTRIL?

Tenho vontade de matar commtoque de crueldade, as pessoas do meu trabalho,,dentre outras...rlrs sabem que faltam uns pinos na minha cabeça e acreditam ainda wue sou inofensiva.

Mas tudo mudou de um tempi para cá, nenhum fator temporal associado, mas acotdo todos os dias com muito ódio.

Anônimo disse...

eu rapeidamente aprendi a reconhecer meu estado maníaco, no meu caso é hipomaniaco, o que poderia ser menos mal...mas nao eh... e qdo estou depressiva (atual estado) quero morrer ( já tentei) e tenho andado na autoestrada ha 160km/h.
sei q precisso de antidepressivos, mas eles sao minha cura e meu veneno, como estava quase estável minha psiquiatra tirou, pois eles me deixam muito "alegre", fico muito "atirada" , namoradeira, nao sei o que faço mas eu chamo atencao dos homens em qlquer lugar, e disso para leva los pra minha cama eh um tapa... vou ateh em swings sozinha.
acontece q minha medica me deu remedios q me deixaram asexuada e eu gosto de sexo, entao eu tomei uns antidepressivos q tinha em casa... porq, meu deus...curti um dos melhores carnavais da minha vida... ate o ultimo dia... qdo o homem q eu queria nao me quiz. minha votande era mata lo, ao inves risquei o carro dele e furei os pneus do carro dele e da mulher q tava com ele. ele descobriu ou jogou verde pra cima. mim... eu neguei, jurei por tudo... mas ele foi embora. Pior: nem gosto dele. fizi so porq fui contrariada.
estou comm40 anos e descobrintudo isso numa crise no trabalho, desde entao minha vida tem desmoronado, soh nao estah pior porq tenho uma familia e um ex namorado que me apoiam muito, mas eles nao tem ideia de quem sou eu realmente.

Anônimo disse...

passo pelo mesmo problema perd me marido q achava q tava mentindo, fazendo de vitima chamado a atençao meuss irmaos acham q e frescura e meus filhos tadinhos dizem q nao suportam mais me ver assim, estou sendo prejudicada no emprego pois nao consigo ir trabalhar,ou seja so consigo ficar dentro do quarto. Ninguem entende o q sinto e nao tenho apoio de ninguem me sinto infeliz e abandonda sei q estou perdendo as forças de lutar e morrendo aos poucos nao sei mais o q fazer

Anônimo disse...

Boa tarde, tenho 31 anos e gostaria de dizer q passei rapidinho por akie, mas o q eu li, achei mto interessante.
tenho algumas dúvidas, pois desde 2003 q não consigo um trabalho fixo. Nestes 10 anos, tive um filho q tem hj 7 anos. Não sei por onde começar e gostaria d saber se o transtorno bipolar é considerado uma doença de pacientes portadores de necessidades especiais. qdo eu for elaborar um curriculo, se eu devo ou nao dizer q tenho essa doença...
Obrigada.

Bruna Dutra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Olá meu nome é Cristina, tenho uma pessoa muito próxima a mim que também é bipolar ele sofre muito e quem convive sofre ainda mais talvez, ele alucina e as vezes escuta vozes mas se está " estável" ou seja quando a medicação está funcionando ele é absolutamente normal, as crises foram piorando com a idade as vezes ficava agressivo, outras amável, outras extremamente triste, mas o mais preocupante foi quando passou a ser agressivo e escutar vozes, alguém já passou por esses sintomas, hoje ele toma 100mg que Quetiapina pela manhã e 200mg a noite, tbm toma anti depressivo, e 600 mg de carbolítio junto com 1mg de Alprazolan no almoço e 600 mg de carbolítio com 1 mg na janta... As vezes ele está absolutamente ótimo, mas as vezes decai o médico disse que é normal até que a medicação seja ajustada... O que mais nos preocupa são as vozes alguém já passou por isso?

Anônimo disse...

Eu tb sou bipolar! :-( Descobrí a pouco tempo,e como a gente sofre com preconceitos! Sou evangélica, temo a Deus, tenho fé, mas as pessoas insistem em dizer pra a gente procurar a Deus,orar,é o que eu mais faco, oras falar isso, é colocar mais um peso nas nossas costas, como se a gente tivesse demônios, e não quisesse ficar bem! Quando as pessoas me dizem, vc tem que ter fé,tem que se esfocar, eu me sinto como se eu fosse um paraplégico que quer muito andar, e uma pessoa fica falando ande, vc tem duas pernas, tenha fé, creia! Ví um depoimento dizendo que a pessoa batia a cabeça na parede, isso tb acontecia comigo qdo era adolescente,e tb me mordia! Eu piorei depois que meu pai morreu em 2010, que na verdade eu descobri pq as crises ficaram fortes! Tenho vontade de não existir, parece que a dor só vai passar se eu sair da minha pele, tenho vontade de sair no mundo e não voltar mais! Ultimamente tenho vontade de matar, de estrangular! Eu sempre fui muito amável, muito boa, sempre fiz o possível para ver as pessoas felizes, mas estou mudando muito e isto me assusta! O médico me passou um remédio novo o Saphris, é um moderador de humor, parei de tomar por conta própria pois é muito caro mais de 400 reais. Tava tomando 5mg ele aumentou pra 10mg e foi aí que parei, mas vou ter que voltar a tomar pra não acontecer uma tragédia. É muito bom ver esses depoimentos, pq a gente vê que existem muitas pessoas passando pelas mesmas coisas, me identifiquei com muitos casos !

Anônimo disse...

O que me incomoda são os autos e baixos! Eu acho melhor quando estou na faze de euforia, pq a casa fica brilhando, dou risada por tudo, tenho muita energia pra fazer artesanatos, fico bem ativa! Dou minha opinião em tudo, me sinto imortal, acelero mais o carro, ando mais rápido, escovo os dentes mais rápido, lavo louca tb bem mais rápido! Nas fazes de depressão, ai meu Deus como é péssimo! Tenho preguiça de dar opinião, fico mais lenta pra tudo, até forrar um lençol na cama me cansa! Fico alguns dias sem tomar banho, sem escovar os dentes, sem arrumar a casa!O duro é que ninguém entende! Não suporto ver ninguém, ainda mais aquelas pessoas que vão te visitar que querem ser super heróis, que te fazem se sentir a pior pessimista, a pessoa mais fraca, falam que que vc tem que ter fé, como se a gente não tivesse. E o pior, vc deixa de ter razão pra tudo!Se vc tem razão numa discursáo com seu marido,não importa, vc é a bipolar, vc quem tem problemas na cabeça e quem tá fazendo dar errado as coisas vai ser sempre vc que tem bipolaridade, é muito injusto!!!!!Um dia de manhã eu escrevi duas cartas falando em suicídio, e a tarde tive uma crise, por causa que minha mãe me falou umas coisas que eu não concordo com ela a respeito da criação do meu filho, ele é uma benção na escola só tira 9 e 10, é uma criança calma, tranquila, não tenho problema com ele em lugar nenhum, ela quer que ele seja perfeito do jeito dela, eu sou a favor da criança brincar e aproveitar a infancia, ela nunca foi a favor de mim quando era criança mesmo eu tendo razão ficava do lado das outras pessoas e com meu filho quer fazer o mesmo. E na hora da discursáo, eu ia embora de casa, queria me jogar pela janela, e ela gritou e disse para eu parar de frescura, que eu tava fazendo aquilo só pra chamar atenção, sem saber ela que eu realmente estava disposta a fazer mesmo e já tinha duas cartas escritas que escrevi no mesmo dia e eu ia embora mesmo! Queria muito fazer terapia em grupo, pq só nós sabemos o que passamos ninguém mais entende!!!!!

lusitano esclarecido disse...

Finalmente, ao fim de 21 anos de doença encontro alguém que é quase um espelho da minha alma e estado de espirito interior. Apresento-me: chamo-me Joao e tenho 38 anos e contraí a doença ainda menor de idade. isto afetou a minha vida pessoal pq nao podia beber como os outros. depois meteram-me na cabeça que iria ter problemas de ereção, o que não aconteceu, mas que me lixou a maioria dos relacionamentos, e que fez com que ficasse solteiro ate hoje. a violencia que descreves sinto-a igualmente e em relação aos meus pais e demais pessoas e acontece nas fases depressivas que sao cada vez mais duradouras e em mais numero. por vezes apetece-me desaparecer e ir viver para a lua ou para marte ou morrer para nao me chatearem. mas depois passa e a vida continua...

Julliane Delgado disse...

Boa tarde, faz uns dois meses que recebi o diagnóstico de bipolaridade depois de uma tentativa frustrada de suicídio.Quando leio esses comentários sinto que estou no meu mundo pq sempre achei que havia algo de errado comigo, sempre fui muito retraída e de uns tempos pra cá isso aumentou drasticamente.Meus relacionamentos se resumem apenas obrigatoriamente às pessoas do meu trabalho e meu marido e filha.Esta é o motivo de me levantar de manhã.Essa doença é avassaladora e os períodos que achava que estava melhor da depressão eram na verdade as fases de mania.As pessoas não me entendem e eu me recolhi ao meu mundo pq não sou compreendida e não converso com mais ninguem.Estou me sentindo numa areia movediça semter para onde ir e sabendo meu final...

Hellen disse...

Boa noite! Eu queria saber se quando alguém que tem bipolaridade nos afasta e nos corta totalmente, existe algum jeito de se aproximar de novo, e fazer com que essa pessoa confie novamente? Eu só quero o bem dessa pessoa, de todo coração, adorava conversar com ele, me sentia bem de saber que ele se abria comigo e me contava tantas coisas. E eu jamais criticaria qualquer pessoa por qualquer motivo, sei que tenho que respeitar, porque tenho muitos defeitos e isso é normal, todo mundo os tem. Alguém pode falar um pouco sobre isso?

Anônimo disse...

Olá , vi os comentários , sou estudante de medicina e tenho uma doença que se chama distrofia muscular , fui diagnosticada com a distrofia aos 13 anos e desde então passei minha vida estudando e nas férias ficava sempre depressiva e isolada do mundo , mas isso não me importava ,pois o que me motivava a seguir em frente era a minha fé em Deus e na medicina, estava adorando o curso , e fiz um trabalho sobre a minha doença , ganhei um premio e desde esse dia comecei a ficar ansiosa e tive um surto na faculdade e em casa , fui diagnosticada com TAB, desde o mês de Agosto não consegui mais estudar, sai da euforia do prêmio para um estado de depressão, tranquei a faculdade , e agora vejo meus colegas indo para o 4 ano de faculdade , e eu se tiver forças terei que voltar no 3 ano , ano que vem, me sinto humilhada, chateada, e não tenho forças para nada, a propria distrofia muscular já me causa fraqueza, agora a minha mente também decidiu ficar fraca!! Não sei mais como será minha vida, penso em morrer,mas não tenho coragem, nada me alegra, todo mundo continua sua vida e a minha parou , justo eu que lutei tanto para chegar até o 3 ano da faculdade e estava estudando tão bem , de forma tão disciplinada. Sempre briguei com meus pais ,mas achava normal , pois o ambiente familiar sempre foi de brigas.Sinto falta de ser exatamente como eu era, preocupada com os estudos ,ter minhas briguinhas de vez em quando e passar para as pessoas a imagem de uma menina super comportada e educada. Não sei se sou anjo ou demônio , as vezes me sinto a mistura dos dois, e também odeio as pessoas , principalmente os colegas da classe , a falsidade e as fofocas das pessoas , etc....e q falem de mim , isso eu odeio !!!!Hoje estou em casa trancada no quarto e vou aos psiquiatras da faculdade, tomo Torval e citalopran ,e faço psicoterapia ,mas não sinto que está me ajudando. Não tenho confiança em mim, no meu equilibrio entre razão e emoção !! Como vou viver com uma distrofia muscular que degenera meu corpo , e é uma doença progressiva e sem remedio , e uma bipolaridade que tem remedio , mas tambem é progressiva!! Ambas são doenças genéticas, meus genes são pobres mesmo!!!Meu humor está controlado por remedios , não tenho a mesma sensação de controle da minha vida , que eu tinha antes. Não sei para onde ir , viver é foda, morrer é dificil , quero encontrar uma saida , um caminho entre a vida e a morte, mas não encontro!!!!!!!!!

Gostaria de um conselho , uma opinião , embora eu já esteja em tratamento!!!
Obrigada!!!

Anônimo disse...

Um depoismento sincero http://youtu.be/jh3CkLRrzE8

rosa maria disse...

sei quem o que e isto passo pelo mesmo ploblema,força amigo e fe em Deus

Amadeu Epifânio disse...

Olá, gostaria de convidá-los à visitar um outro blog, que é de um projeto de auto ajuda, que conta com artigos voltados para transtornos bipolar, depressão, suicidio, entre outros. http://deondeparei.blogspot.com.br Espero que ajude. Obrigado.