sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR (CID F31)

*CID – Classificação Internacional de Doenças

Todos nós podemos passar por variações de humor. Problemas pessoais e/ou profissionais, stress ou até mesmo a famigerada tensão pré-menstrual podem causar alterações. Contudo, isso não significa que todos sofrem de TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR (TAB) ou TRANSTORNO DE HUMOR BIPOLAR (THB).
É errada a idéia de que bipolaridade seria estar hiper contente pela manhã, triste à noite e com um sentimento médio à tarde. Tal idéia não traduz a bipolaridade. 
O TAB causa alterações incomuns no humor, de energia e capacidade de desempenhar funções, diferente das variações normais de humor que todas as pessoas têm. Contudo, é importante lembrar que o TAB é um transtorno de humor, mas não de afeto (isto é, a pessoa é capaz de ter sentimentos e desenvolver afetos normalmente, como qualquer outra pessoa)
Dados internacionais mostram que os transtornos afetivos afetam aproximadamente, 11,3% da população. Estas patologias (doenças) são as que mais levam a problemas com familiares e perdas sociais (como desemprego, falta de amigos e isolamento),
Os danos causados nos relacionamentos, performance ruim no trabalho e estudos são muito comuns, com 1/3 dos portadores  apresentando dificuldades (estudos apontam que o índice de desemprego entre portadores de TAB e duas vezes maior).
Os principais causadores destas dificuldades sãos: falta de acompanhamento médico freqüente e contínuo, falta de programas comunitários de apoio, falta de atividade ocupacional, ausência de apoio social de pessoas próximas e falta de centros (fora os hospitais) para atendê-los em momentos de crise.
O relacionamento familiar ruim é um dos principais causadores da hospitalização destas pessoas.
É muito importante o atendimento aos familiares e amigos, pois a falta de informação e apoio gera maiores desentendimentos. Grupos educacionais e/ou psicoterapia familiar são muito úteis neste caso, porém não existem muitos locais gratuitos onde estas famílias possam procurar apoio.


O QUE É TAB? QUAIS SÃO SUAS CARACTERISTICAS?

O TAB se caracteriza por alterações do humor, com episódios depressivos e maníacos ao longo da vida.
A Depressão é caracterizada principalmente por alterações do humor, da psicomotricidade (fala mais lenta, frases raras e curtas, lentidão ao dar resposta, baixo tom de voz, dificuldade de raciocínio, diminuição da energia e cansaço excessivo), da cognição (capacidade de avaliar as coisas a sua volta, aquisição de conhecimento) e das funções vegetativas (alterações do sono, do apetite e da função sexual).
Pode-se também apresentar dificuldades de concentração e pensamentos de cunho negativo, incapacidade de sentir alegria ou prazer, redução da energia, agitação psicomotora ou, ao contrário, lentificação, podendo ocorrer idéias de suicídio e/ou sintomas psicóticos (delírios, alucinações, linguagem ou comportamento desorganizado).
Profissionais com atividades acadêmicas ou intelectuais não conseguem mais executar suas tarefas quando deprimidos; as crianças diminuem o rendimento escolar por causa das dificuldades de raciocínio e concentração.
Só que nem sempre um episódio depressivo apresenta a “clássica tristeza”. Dependendo da personalidade da pessoa, ela não precisa necessariamente apresentar os sintomas de angústia, tristeza, vazio, desesperança, desânimo, enfim, o "baixo astral". No lugar disso, este quadro pode ser percebido indiretamente por sua expressão facial, pelo olhar triste, fixo e sem brilho, pelos ombros caídos e por uma notável tendência ao choro e hipersensibilidade sentimental. Pode ainda concentrar suas queixas em somatizações (quando o corpo apresenta sintomas causados por fatores emocionais), como dor de cabeça, dor de estômago, dor no peito, tonturas, etc.


A fase de Mania (ou euforia) também se caracterizada por alterações no humor, na cognição, na psicomotricidade e nas funções vegetativas, porém com características opostas àquelas alterações observadas na depressão, ou seja, o paciente apresenta humor exageradamente expansivo (chamado de elação), aceleração da psicomotricidade, maior irritabilidade, (podendo em alguns casos, tornar-se agressivo), aceleração no ritmo do pensamento, aumento de energia e pensamentos de grandiosidade que chegam a ser delirantes. Não é raro nesta fase os portadores TAB serem engraçados, divertidos e tornarem-se o centro das atenções por sua grande desenvoltura. Na fase de mania pode ocorrer ainda a negação da doença, e em consequência, o interrompimento do tratamento.
A pessoa com TAB ainda pode passar por um estado intermediário entre Depressão e Mania, chamado Hipomania. Esta é uma alteração de humor semelhante à mania , porem com menor intensidade e sem todas as características do episódio de mania. A pessoa se sente muito bem, com bastante energia. Normalmente a necessidade de sono diminui e a libido aumenta.
No DSM.IV* são classificados 2 tipos de TAB. O Tipo I, onde a maioria dos episódios de alteração do humor são do tipo euforia e o Tipo II, ao contrário, ou seja, a maiora dos episódios são depressivos.

Tipo I: Afeta apenas 1 % da população, é a forma mais intensa, com forte alteração do humor, por apresentar fases de mania plena. Apresenta toda a amplitude de variação do humor, do pico mais alto (mania plena), que pode durar várias semanas, até depressões graves. Em geral, inicia-se entre 15 e 30 anos, mas há casos de início mais tardio. É comum apresentar sintomas psicóticos, como delírios (pensamentos fora da realidade) ou alucinações (ouvir vozes que não existem, por exemplo). Se não for tratado, em geral prejudica enormemente o curso da vida do paciente. 

Tipo II: A alteração do humor  não é tão intensa quanto no tipo I, mas apresenta fases de hipomania (pequena mania) e depressão. Assim sendo, nesse tipo a fase maníaca é mais branda e curta, chamada de hipomania. Os sintomas são semelhantes, mas não prejudicam a pessoa de modo tão significativo. As depressões, por outro lado, podem ser profundas. Também pode iniciar na adolescência, com oscilação de humor, mas uma parte dos pacientes só expressa a fase depressiva ao redor dos 40 anos. Com freqüência, os sintomas de humor deixam de ser marcadame

Contudo, os pesquisadores estão ampliando os conceitos e os tipos da bipolaridade. Já se fala em Transtornos do Espectro Bipolar e, de acordo com abordagem mais recente, existem quatro tipos de transtorno bipolar, que se caracterizam basicamente pela intensidade em que ocorre a alteração do humor.

O tipo III é semelhante ao tipo II, porém o quadro de hipomania é desencadeado pelo uso de antidepressivos ou psicoestimulantes.  É uma classificação usada apenas quando a fase maníaca ou hipomaníaca é induzida por um antidepressivo ou psicoestimulante, ou seja, os pacientes fazem parte do espectro bipolar, mas o pólo positivo só é descoberto pelo uso destas drogas. Sem o antidepressivo, em geral manifestam características do temperamento hipertímico ou ciclotímico. Como regra, devem ser tratados como bipolares, mesmo que saiam do quadro maníaco com a retirada do antidepressivo.  
No TAB tipo IV a oscilação de humor é mais leve e o paciente é, geralmente, uma pessoa com temperamento mais determinado, dinâmico, empreendedor, extrovertido e expansivo, e que, esporadicamente, passa a ter o humor mais turbulento e depressivo na meia-idade. Esses pacientes nunca tiveram mania ou hipomania, mas têm uma história de humor um pouco mais vibrante, na faixa hipertímica, que freqüentemente gera vantagens. A fase depressiva pode só ocorrer em torno ou depois dos 50 anos e às vezes é de característica mista e oscilatória. 

Vários estudos indicam que a presença de bipolaridade é bem mais frequente entre artistas do que na população em geral. Essa tendência tem a ver com o espírito inovador e o temperamento emocionalmente intenso, curioso e empreendedor.


AUTOMUTILAÇÃO E SUICÍDIO:

Um humor deprimido e perda de interesse ou prazer são sintomas básicos do episódio depressivo. O portador do TAB ainda pode sentir-se triste, sem esperanças, "na fossa" ou inúteis. É comum a descrição de uma dor emocional extrema.
Nesta fase há um grande risco de automutilação. Trata-se de um comportamento auto-destrutivo (se machucar, se arranhar, se cortar, se queimar). Uma das justificativas mais comuns dadas pelos portadores para este ato, é a de que “a dor no corpo é melhor que a dor na alma".
Porém, contrariando o que se possa imaginar, estudos indicam que os  índices de suicídio são praticamente os mesmos tanto na fase depressiva quanto na fase de mania. O grupo de pacientes bipolares com risco mais elevado de suicídio são homens jovens, que estão em fase inicial da doença, especialmente aqueles que tenham feito uma tentativa prévia de suicídio, que abusam do álcool ou que saíram de alta hospitalar recente.
O risco para suicídio entre pacientes psiquiátricos em geral é de 3 a 12 vezes maior se comparado ao restante da população. O transtorno de humor é o dignóstico mais comumente associado ao suicídio, estando a frente, inclusive, de pacientes com transtornos depressivos. A estimativa é de que o índice de suicídio seja de 400 casos a cada 100 000 pacientes masculinos, e de 180 casos a cada 100 000 pacientes do sexo feminino.
Cerca de dois terços dos pacientes deprimidos pensam em se matar e 10 a 15% cometem suicídio, tendo uma taxa média de 12%. No caso dos portadores  de TAB, os índices  ficam  entre 12% e 19%. As conclusões foram  de que a taxa média de suicídio seria de 15%, cerca de 30 vezes maior do que na população geral.
Há maiores riscos também em portadores de TAB que têm estados mistos ou têm mania psicótica.

  
MAS O QUE CAUSA ESTE TRANSTORNO?

A causa ainda é desconhecida. No entando, algumas descrições detalhadas deste transtorno datam de 2500 atrás, quando termos como mania e melancolia (utilizandos ainda em nossos dias) já eram empregados.
Apesar de ser conhecida a séculos, o número de individuos portadores de TAB tem aumentado. Mas por que?
Uma das possibilidades é que alguns acontecimentos e atitudes podem precipitar a ocorrência de distúrbios de humor.
Atualmente vivenciamos maiores situações de stress, dormimos pouco e mal, consumimos substâncias lícitas (medicamentos para emagrecer e cafeína) e ilícitas que interferem no humor...
Ainda o período gestacional e pós-gestacional é uma fase em que é mais elevado o risco de surgirem quadros de depressão e euforia.
Uma das causas que aparentemente está mais relacionadas ao TAB é a hereditariedade, estando relacionada à presença de um conjunto de genes de suscetibilidade, os quais, ao sofrerem influência do meio, manifestam-se precipitando alterações necessárias para o surgimento da doença.
Estudos apontam para uma desregulagem nos níveis de serotonina (neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar) e noradrenalina (neurotransmissor que causa o estado de alerta), além dos já citados, fatores que podem influenciar ou precipitar o surgimento, como: parentes que apresentem esse problema (ou seja, fatores genéticos), traumas, incidentes ou acontecimentos fortes como mudanças, troca de emprego, fim de casamento, morte de pessoa querida, etc. 

Em aproximadamente 80 a 90% dos casos os pacientes apresentam algum parente na família com transtorno bipolar.
Os fatores ambientais associados ao TAB podem ser variados, tais como, sexo, etnia, complicações da gestação ou parto, nascimento em àrea urbana ou rural, padrão sócio-econômico, eventos estressantes de vida (morte de familiar, desemprego, divórcio e dificuldades financeiras), disfunção familiar, história de epilepsia, trauma cranioencefálico, esclerose múltipla, estado civil solteiro, etc. Ainda houve associação da TAB com mulheres nos três primeiros mêses pós-parto.




IDENTIFICAR O HUMOR NÃO É TAREFA FÁCIL...

A empolgação para comer a pizza no sábado à noite pode ser um sinal de variação de humor. Brigas com amigos e melancolia podem ser fortes indícios. Estes sinais não estão ligados a fatores externos. A pessoa que tem Bipolaridade mescla, de 8 a 80, desânimo, tristeza, ansiedade, falta de sono e de prazer, com euforia, agitação, agressividade, explosividade, aumento de riscos e gastos, impulsividade e distração, entre outros sintomas.
O bipolar quase nunca percebe quando está hiperagitado. Quando percebe, é comum recusar-se a aceitar o fato. Nem sempre os sintomas maníacos ou depressivos são bem claros. Até quem convive com um bipolar sente dificuldades em distinguir uma aflição comum de uma depressão, ou uma alegria de uma euforia.
A natureza e duração dos episódios varia muito de uma pessoa para outra, tanto em intensidade quanto em duração. Entre os episódios, é comum que passe por períodos de normalidade.
Saber se está ou não em surto, é uma dificuldade constante para o portador de TAB, bem como a seus familiares.
Até mesmo o diagnóstico da doença não é uma tarefa fácil, mesmo para profissionais experientes que acompanhem o paciente a um bom tempo. 


BIPOLARIDADE E A LIBIDO:

"(...)antes de aparecerem os sintomas da doença em mim, eu gostava pouco de sexo, mas fazia sempre que me dava vontade, mas agora mudou. Eu tomo os remédios certinho, mas não consigo segurar a onda. Perdi minha esposa, e fico sozinho direto, do jeito que eu gosto, devido à depressão que tenho, mas em certos momentos fico elétrico. Dá vontade de fazer sexo 10 vêzes ao dia!" (Depoimento de M.)
 
"Há alguns anos atrás, numa das fases, minha libido ficava lá em cima, e hoje eu sei que era por causa da doença, mas na época eu não sabia. Atualmente ela está normal; me sinto bem e feliz." (Depoimento de A.)

"Estamos nos beijando. Muito. Intensamente. Ele sugere sair dali. Topo imediatamente. Ele faz algumas perguntas para mim mas nem presto a atenção. Coisas sobre eu ou ele não tem a mínima importância para mim. Quero apenas seu corpo, sua transpiração, sua virilidade. Em segundos estou no motel nos seus braços. Faço sexo até ficar exausta e vou embora de maneira tão fugaz quanto cheguei. Sinto que mesmo tentando transparecer uma certa naturalidade ele não entende absolutamente o que quero. Não vou me dar ao trabalho de explicar a ele que não quero nada além de sexo, que a vontade estava me consumindo nem eu sei por que." (Depoimento de S. no Blog BIPOLAR BRASIL, disponivel em http://www.bipolarbrasil.net/)

A alteração na libido é um sintoma vegetativo do TAB, como mencionado anteriormente. É comum na fase depressiva uma diminuição do interesse e desempenho sexual. Não são raros os  casos em que o casal é encaminhado indevidamente para aconselhamento conjugal ou terapia sexual, porque o transtorno depressivo subjacente não foi identificado.
É importante que o parceiro(a) tenha conhecimento da diminuição da libido comum nesta fase, para assim, apoiar o portador.
Já na fase de mania pode ocorrer um aumento na libido, podendo levar a pessoa a ter comportamento sexual de risco, o que aumentam as chances de contagio de doenças como Hepatite B, AIDS e outras DST´s (doenças sexualmente transmissíveis).
Alguns medicamentos utilizados no tratamento também podem causar diminuição da libído (como por exemplo, alguns antidepressivos).

BIPOLARIDADE E A VIDA PROFISSIONAL:

Ter transtorno bipolar não impede alguém de ter sucesso na carreira que escolhe.Uma pesquisa feita pelo Center for Psychiatric Rehabilitation, da Universidade de Boston, revelou que 73% de 500 profissionais ( incluindo enfermeiros, jornalistas, executivos, advogados e professores) diagnosticados previamente com séria doença psiquiátrica eram capazes de manter emprego nas ocupações escolhidas por eles ( Ellison & Russinova, 2001 ). Dos entrevistados na pesquisa,  62% trabalhavam na sua posição há mais de dois anos, e 69% aumentaram seus níveis de responsabilidade nos empregos. A maioria ( 84% ) estava tomando algum tipo de medicação psiquiátrica, e dois terços foram hospitalizados três ou mais vezes. 
Acima de tudo, muitos entrevistados disseram que retomar o trabalho foi importante para sua recuperação. No entanto, pessoas com transtorno bipolar enfrentam desafios significativos no local de trabalho. Alguns deles surgem do estigma do transtorno bipolar e da reação dos outros.Contudo, o maior desafio é encontrar um trabalho que seja satisfatório, e que também ajude a impedir a ciclagem de humor. É difícil equilibrar humores que flutuam drasticamente com uma vida de trabalho estável.Empregos que permitem esse equilíbrio são difíceis de encontrar, mas existem ou podem ser criados. Manter um humor estável é essencial para funcionar bem no trabalho. Essa é outra razão para tomar a medicação com regularidade. A chave é encontrar o equilíbrio certo de estabilidade na carga horária, níveis de estresse, níveis de estimulação e satisfação com o trabalho.

(FONTE : DAVID J. MIKLOWITZ, PHD)


EXISTE TRATAMENTO?

O tratamento adequado do TAB reduz a incapacitação e a mortalidade dos portadores. Geralmente inclui a prescrição médica de um ou mais estabilizadores do humor (carbonato de lítio, ácido valpróico/valproato de sódio/divalproato de sódio, lamotrigina, carbamazepina, oxcarbazepina), e antipsicóticos pode ser necessários para o controle de episódios de depressão e de mania (em especial os de segunda geração como risperidona, olanzapina, quetiapina, ziprasidona, aripiprazol).
A terapia também é uma importante ferramenta no tratamento.
O apoio familiar também é muito importante na diminuição dos sintomas do  TAB, além de diminuir as chances de novas crises. 

COMO CONTROLAR:
  • Uso da medicação prescrita conforme recomendação médica (O uso da medicação é particularmente importante, porque é muito comum o paciente de bipolaridade interromper a terapia medicamentosa. A interrupção no uso do medicamento recomendado, via de regra, desencadeia novos episódios da conduta característica a essa condição: estados de depressão mais intensa e maior exaltação na euforia);
  • Acompanhamento médico e psicoterápico;
  •  Restrição ao uso de álcool, drogas e cafeína;
  • Sono de 7 a 9 horas por dia;
  • Exercício físico, principalmente aeróbico;
  • Boas relações afetivas, ter um bom grupo social, ter um confidente;
  • Artes, hobbies, esportes, meditação, animal de estimação, etc.
  • Alimentação saudável, incluindo alimentos ricos em Ômega 3 e ácidos graxos naturalmente encontrados em peixes (cozidos, assados ou grelhados) como: bacalhau, cavala, salmão, sardinha, arenque e também nas castanhas, nozes, vegetais com folhas verde escuro, linhaça, azeite de oliva, óleo de soja e óleo de canola (pesquisas afirmam que a ingestão de alimentos ricos em Ômega 3 e ácidos graxos diminuem o risco de depressão).
  • Trabalhar com o que gosta de fazer;
  • Primar pelo meio-termo e a ponderação nos momentos difíceis;
  • Fé e espiritualidade. 

SEU FILHO É BIPOLAR?

Não existem testes padronizados para transtorno bipolar, mas esta lista, adaptada do livro “The Bipolar Child”, pode ajudá-lo a reconhecer alguns sinais de alerta. Assinale os comportamentos que seu filho atualmente apresenta ou apresentou no passado. Se você assinalar mais de 20 itens, ele deveria ser examinado por um profissional da área.

Seu filho:

1- Fica aflito demais quando separado da família;

2- Demonstra ansiedade ou preocupação excessiva;

3- Tem dificuldade para levantar-se pela manhã;

4- Fica hiperativo e excitável à tarde;

5- Tem sono agitado ou dificuldade para conciliar o sono;

6- Tem terror noturno ou acorda muitas vezes no meio da noite;

7- Não consegue concentrar-se na escola;

8- Tem caligrafia pobre;

9- Tem dificuldade em organizar tarefas;

10- Tem dificuldade em fazer transições;

11- Reclama de sentir-se aborrecido;

12- Tem muitas ideias ao mesmo tempo;

13- É muito intuitivo ou muito criativo;

14- Distrai-se facilmente com estímulos externos;

15- Tem períodos em que fala excessiva e muito rapidamente;

16- É voluntarioso e recusa-se a ser subordinado;

17- Manifesta períodos de extrema hiperatividade;

18- Tem mudanças de humor bruscas e rápidas;

19- Tem estados de humor irritável;

20- Tem estados de humor vertiginosamente alegres ou tolos;

21- Tem ideias exageradas sobre si mesmo ou suas habilidades;

22- Exibe um comportamento sexual inapropriado;

23- Sente-se facilmente criticado ou rejeitado;

24- Tem pouca iniciativa;

25- Tem períodos de pouca energia, ou alheamento, ou se isola;

26- Tem períodos de dúvida sobre si mesmo ou de baixa estima;

27- Não tolera demoras ou atrasos;

28- Persegue obstinadamente suas próprias necessidades;

29- Discute com adultos ou é mandão;

30- Desafia ou se recusa a cumprir regras;

31- Culpa os outros por seus erros;

32- Enerva-se facilmente quando as pessoas impõem limites;

33- Mente para evitar as consequências de seus atos;

34- Tem acessos de raiva ou fúria explosivos e prolongados;

35- Tem destruído bens intencionalmente;

36- Insulta cruelmente com raiva;

37- Calmamente faz ameaças contra outros ou contra si mesmo;

38- Já fez claras ameaças de suicídio;

39- É fascinado por sangue ou coágulos;

40- Já viu ou ouviu alucinações.


    VIDEO:

    O video abaixo exibe uma reportagem sobre Bipolaridade.


    Bipolares Notáveis:
    Música: Axl Rose (vocalista do Guns n' Roses), Kurt Cobain (ex-vocalista do Nirvana), Elvis Presley, Janis Joplin, Jimmy Hendrix, Thelonius Monk, Peter Tchaikovsky, Wolfgang Amadeus Mozart, Maria Callas, Sting.
    Cinema e TV: Francis Ford Coppola, Jean-Claude Van Damme, Cary Grant, Vivien Leigh,Carrie Fisher, Robin Williams, Jim Carrey, Marilyn Monroe, Elizabeth Taylor, Cássia Kiss.
    Artes plásticas: Michelangelo, Georgia O´Keeffe, Paul Gauguin, Vincent van Gogh.
    Ciência: Platão, Isaac Newton, Buzz Aldrin (alguns afirmam  que ao pai da psicanálise, Sigmund Freud, era Bipolar).
    Política: Napoleão Bonaparte, Winston Churchill, Abraham Lincoln.
    Escritores Notáveis: Agatha Christie, Ernest Hemingway, Edgar Allan Poe, Graham Greene,Hans Christian Andersen, Honoré de Balzac, F. Scott Fitzgerald, Charles Dickens, Tennessee Williams, Emile Zola, Mark Twain, Fernando Pessoa, T. S. Eliot, Walt Whitman, Antero de Quental (suicida-se com 50 anos), Florbela Espanca (suicida-se com 37 anos), Victor Hugo (autor de Os Miseráveis), Tolstoi (escreveu Guerra e Paz), Virginia Woolf (suicidou-se com 26 anos, depois de uma vida atormentada pela doença) .
    SUGESTÃO DE FILME SOBRE O TEMA: 
    • Mr Jones (1993) com Richard Gere, Lena Olin e Anne Bancroft. 
     *O Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais é uma publicação da American Psychiatric Association, Washington D.C., sendo a sua 4ª edição conhecida pela designação “DSM-IV”.
    FONTES:
    1) Tucci MA, Corat S, Dalben I. Ajuste social em pacientes com transtorno afetivo
    bipolar, unipolar, distimia e depressão dupla. Rev Bras Psiquiatria 2001;23(2):79-87.
    Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbp/v23n2/5581.pdf
    2) Site Qualidade de Vida. Transtorno Afetivo Bipolar. São Paulo; 2010. Disponível em http://www.sitemedico.com.br/sm/materias/index.php?mat=1368
    3)Site PsiqWeb. Depressão: Transtorno Afetivo Bipolar. São Paulo; 2005. Disponível em http://virtualpsy.locaweb.com.br/index.php?art=367&sec=26
    4) Kaplan HI, Sadock BJ, Grebb JA. Compêndio de Psiquiatria: Ciências do Comportamento Humano e Psiquiatria Clinica. 7ª ed. São Paulo: Artmed, 2007. 1169 p. 5) Site WikiPédia. Transtorno Bipolar. Disponivel em http://pt.wikipedia.org/wiki/Transtorno_bipolar  6) Site Bipolar Brasil. Sintoma Bipolar, libido e sexo. Disponivel em: http://www.bipolarbrasil.net/2010/12/sintomas-bipolar.html  7) Site Bipolaridade. A Bipolaridade: O que é Bipolaridade? Disponivel em: http://www.bipolaridade.com.br/oque/oque.asp    8) Gentil Filho, V. Transtorno Bipolar / Distúrbio Bipolar. Dráuzio Varela.com. Disponivel em: http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/transtorno-bipolar/ Acesso em agosto de 2012.   (POSTAGEM CONJUNTA COM LETICIA LACERDA)

    68 comentários:

    Anônimo disse...

    Interessante, o texto sobre TAB, sou paciente de TAB e dia 6-01-11 na empresa onde eu trabalhava fiz um exame toxicológico onde obviamemnte foram detectados os meus medicamentos e qnd falei q eram por prescrição médica e q eram por conta do TAB disseram q eu não me encaixava no perfil de colaboradores da empresa e podia ter problemas no laboratório, sendo q em 3 meses de experiência q eu fikei lá me destakei, recebi prêmios, tudo mais, o coordenador dizia q eu era a melhor analista química q ele já tinha tido dentro do laboratório, mas qnd soube q eu sou bipolar tudo mudou, interessante essa visão preconceituosa da empresa, como eu poderia trazer problemas pro laboratório, se me mostrei capaz? Faltou informações, ou melhor eles estavam cheios de preconceito pq a palavra final foi de um médico.

    Allana Duarte disse...

    Olá, tudo bem?
    Acho muito oportuno o seu comentário, pois você levanta dois fatores de extrema relevância: o PRECONCEITO e os DIREITOS DOS PORTADORES DE PATOLOGIAS PSIQUIÁTRICAS.
    Primeiramente, vale ressaltar que a realização de exames toxicológicos nas empresas é tema de grande discussão, já que não existe nenhuma lei clara que regulamente a realização deste tipo de teste, mas também não existe nenhuma que a proíba. O que existe é a obrigação da empresa a realizar exames médicos periódicos, visando detectar e diagnosticar casos de doenças profissionais (artigo 168 da CLT e NR 7). Contudo, a Constituição Federal de 1988, proíbe a prática de atos que possam violar a intimidade da pessoa, e § 5º do artigo 168 ressalta que devem ser mantidos os preceitos da ética médica (o que inclui não relatar possíveis patologias, caso o paciente não autorize, exceto nos casos de notificação compulsória).
    Você relata que em nenhum momento ser portadora de TAB a impediu de desempenhar suas funções, e por este motivo, a empresa não deveria ter rescindido o contrato de trabalho, sob pena de incorrer em prática discriminatória vedada pela Constituição Federal, podendo ser processada por danos morais. Creio que você possa entrar com ação de reingresso à sua antiga função (se for de seu interesse). Seria interessante consultar um advogado.
    Muitos empregados de empresas (inclusive com altos cargos) fazem tratamento psiquiátrico, utilizam medicações psiquiátricas, e não causam qualquer prejuízo à instituição, desempenhando suas atividades como qualquer outra pessoa.
    Não serei inocente em afirmar que em 100% dos casos o paciente psiquiátrico pode exercer qualquer atividade (como por exemplo, dizer que qualquer paciente esquizofrênico pode desempenhar atividades onde há elevado nível de stress).
    Claro que nem todos são obrigados a serem profundos conhecedores de psiquiatria, sabendo todas os detalhes e todas as limitações de cada patologia, mas a melhor abordagem nestes casos é entender um pouco mais sobre o problema, e assim, alocar a pessoa na atividade que ela possa desempenhar sem problemas, ou mantê-lo na mesma atividade, desde que possa fazê-lo de forma satisfatória e que não lhe prejudique.
    No caso do portador de TAB especificamente, o portador pode desempenhar muitas funções de maneira adequada. Para isso é necessário que o mesmo esteja bem, estável e sinta-se capaz de desenvolver suas atividades.
    Mas isso requer esforço e dedicação. É preciso que ele seja aderente ao tratamento, e que reconheça e respeite seus próprios limites.
    Sobre "respeitar e reconhecer seus próprios limites", posso citar como importantes ferramentas a terapia (individual ou em grupo) e o ato de ouvir o que os profissionais da área e as pessoas mais próximas dizem (por exemplo, se a mãe ou namorado de uma portadora de TAB diz que ela está muito agitada, isso pode não ser uma simples crítica; pode ser porque ela esteja mesmo mais eufórica o normal).
    Concluo assim, que o preconceito é decorrente da falta de informação da maioria das pessoas, já que muitos ainda vêem o portador de patologia psiquiatrica como uma pessoa desorganizada, desequilibrada, incapaz de desenvolver um raciocínio lógico e ponderado ou desempenhar atividades profissionais, podendo ser até agressivo e o que é mais preocupante é que este tipo de preconceito existe até em alguns (poucos) profissionais da área.

    Obrigada pela sua participação e um forte abraço!

    Zípora Prado disse...

    Sou bipolar, e amei saber tem sempre alguém interessado em nós. Bjs!

    SIMEYA disse...

    SOU EX MULHER DE UM BIPOLAR...EU QUIS ESTAR AO LADO DELE...EU QUIS APOIA-LO...MAS ELE ME MANDOU EMBORA DA VIDA DELE COM NOSSA PEQUENA FILHA DE 9 ANOS.ELE JULGOU MEUS SENTIMENTOS POR ELE DIZENDO QUE EU NÃO IRIA SUPORTA-LO,SEI QUE PELO AMOR QUE SENTIA POR ELE DEPOIS DE 13 ANOS DE CASAMENTO EU SUPORTARIA SIM...HOJE SEPARADOS HÁ 5 MESES TENHO PLENA CONVICÇÃO QUE ELE JA NÃO ME AMAVA MAIS...POIS DESCOBRI QUE ME TRAIA VIRTUALMENTE...E MENTIA MUITO PRA MIM...COM ESSE AFASTAMENTO RESOLVI QUE ESTAVA ACABADO NOSSO CASAMENTO...ESTOU ESPERANDO OS PAPÉIS DO DIVORCIO PARA ASSINAR...DESEJO QUE ELE ENCONTRE PAZ PRA VIDA DELE... JA QUE ACABOU COM MINHA AUTO-ESTIMA...BUSCO RECONSTRUIR MINHA VIDA COM MINHA FILHA

    Leticia Lacerda disse...

    Simeya, o primeiro passo para que você possa ajudar alguém, é esta pessoa QUERER SER AJUDADA.
    Independente da traição (ainda que virtual), das mentiras e da sua dúvida sobre se ele te amava ou não, o que eu noto é que ele não queria ser ajudado. Isso não tem muita relação com rejeição a você, mas é uma opção dele.
    Muitos portadores de bipolaridade isolam-se dos entes queridos pois temem fazer estas pessoas sofrerem com seus altos e baixos que são tão intensos.
    O problema não está em você. Não é sua culpa se ele preferiu se afastar, independente do motivo que o levou a tomar esta decisão (fim do amor, medo de fazer você e sua filha sofrerem, ou qualquer outro motivo que seja).
    O que quero dizer é que você não deve perder sua auto-estima pelo fato de seu relacionamento ter terminado.
    Infelizmente, é muito comum entre bipolares as relações conjugais não vingarem. Isso ocorre por inúmeros motivos: porque o cônjuge não consegue lidar com a instabilidade do portador ou
    porque o bipolar não quer ferir as pessoas que ama, ou pode simplesmente não dar certo por outros motivos, assim como não dão certo os casamento entre pessoas não portadoras de quaisquer patologias psiquiátricas.
    Não se martirize pelo fim do relacionamento, pela suposta infidelidade, pela dúvida sobre se ele te amava ou não... Isso não leva a nada, e só te faz sofrer mais ainda.
    Remoer sofrimentos e reviver dores passadas todo dia. Isso não te leva a lugar algum.
    Siga sua vida. Cuide de sua filha e de você.
    Ame-se! Você não se tornou uma pessoa pior, pelo seu casamento não ter dado certo. Você continua sendo a mesma pessoa de antes.
    Sua vida não pode e não deve parar. Siga adiante sempre!
    Mantenha a fé de que existem coisas novas te esperando no amanhã, e o dia de hoje deve ser vivido, e não desperdiçado remoendo o que já passou.
    O passado deve servir apenas para que aprendamos com ele, e não para que vivamos nele. Viva o HOJE e faça planos para o futuro...

    Um abraço!!

    SIMEYA disse...

    OBRIGADA PELAS PALAVRAS LETICIA ME FORTALECEU MUITO!VOU SEGUIR SEUS CONSELHOS.BEIJOS

    Anônimo disse...

    O que eu posso falar, é que de todos os transtornos mentais,nada é mais destruidor do que o transtorno de personalidade BODERLINE,e o transtorno BIPOLAR do tipo 1. Desculpe-me, não quero ser preconceituoso com pessoas portadoras desses dois transtornos em questão. Mas a triste verdade é que sem tratamento medicamentoso, os relacionamentos desses portadores dificilmente são duradores. Lamento ser realista.

    Leticia Lacerda disse...

    Olá!
    Concordo que o relacionamento com portadores de Personalidade Borderline e TAB não tarefa das mais simples.
    Isso exige muita dedicação, paciência, amor e busca constante sobre informações sobre a patologia em questão, e ainda assim, não existe garantia de que o relacionamento dará certo.
    Por outro lado, todos os relacionamentos são assim: não se pode afirmar com certeza se será duradouro. Como diriam os americanos, "Fifty, Fifty".
    Contudo, é importante tentar sempre, e lutar pelo relacionamento.
    Pode ser SIM que não dê certo, mas é preciso tentar sempre!

    Um forte abraço!

    Paulo Victor disse...

    Muito esclarecedor... Sou portador de TAB, sendo diagnosticado desde setembro de 2008. No momento estou em fase hipomaníaca, vou ao médico daqui a pouco. Passarei a seguir este blog tão útil. Parabéns as autoras.

    Leticia Lacerda disse...

    Olá, Paulo Victor!
    Que bom que o texto lhe foi esclarecedor.
    A idéia deste espaço é justamente esta!
    Fico grata pelo carinho, e desejo-lhe muita sorte em sua jornada!

    Um forte Abraço.

    SILVIA PINI disse...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    janaina baraldo disse...

    na minha familia tem irmã e tios q tem problemas psiquiatrico.
    eu descobri mesmo foi em 2006,quando ja antes sofria com serias mudanças de humor,chegando ao ponto descontrolado de seguir meu marido ,e brigar e por tudo.
    hj estou desempregada ,mas creio tbm q tive parcela de culpa mesmo sofrendo bulling... sei q o colega tbm parecia ter algo dirtúbio mentas... eu cansei q no fim quem perdeu foi eu...
    sempre quero falar mais... odeio q as pessoas duvidem das minhas palavras e gosto de ser melhor em tudo!!!
    sou compusiva demais... acabei me individando por isso.
    hj desempregada ,sinto falta do meu trabalho e até surgiu oportunidades mas ñ consigo,pq penso q meu ex trabalho vai voltar um dia... luto para isso.
    mas parace q virou obseção...
    tenho fortes dores de cabeça e sempre me irrito facilmente ,pq tbm ñ sinto sono e meu marido ronca e isso me irrita muito!!!
    quando durmo a vontade é de ñ acordar e sim dormir até meu corpo querer dizer chega!!!
    choro muitooooooo,lembro da minha infancia mãe ,pai e irmãos ,pq minha mãe hj velhinha e depende da familia cuidados ,e eu ñ posso ajuda-la,meu pai ja é falecido,mas tbm sinto falta muito.
    meus filhos dois casados e um deles mora com a irmã casada e o outro com o meu ex marido... e eu desempregada hj casada 10 anos ,tenho q viver angustiada triste sem minha familia.
    oq faço?
    sei a sou falante... e tbm as vezes esqueço oq eu ia falar... sinto vontade de fazer sexo,mas só por fazer,mecanico demais...
    bom... é isso!!
    ñ estou tomando remédios,parece q ñ adianta mesmo!!!

    Anônimo disse...

    Fui diagnosticada com esse transtorno quando procurar o psiquiatra, uma vez que eu beijava meu filho com um amor profundo e quando ele me perguntava algo óbvio, eu queria pegar uma coisa qualquer pra bater nele com muito ódio. Mas não melhorei até hoje. E já são 3 meses. Não queria ser assim. Me odeio as vezes por isso. Queria ser normal e vestir as máscaras necessárias para um bom convívio na sociedade, mas não suporto quando alguém vem conversar trivialidades comigo. Fico olhando pra pessoa imaginando como seria se eu rasgasse a boca dela, ou quebrasse seu pescoço. Dependendo da conversa... se for sobre novela ou bbb ou qualquer outra coisa idiota eu sinto vontade de vomitar, minha boca enche de água, me dá enjoo de grávida. Meu marido e eu nos damos muito bem, mas não conversamos trivialidades. Apenas curtimos a presença um do outro, nos olhamos, nos tocamos, mas evitamos conversar bobeiras assistimos filmes rimos juntos, mas se ele conversar uma bobeira ou uma coisa idiota, eu perco o tesão na hora. Aí acabou... pra eu voltar ao normal demora umas 2 semanas de empenho da parte dele para me reconquistar. Limpo minhas amígdalas 50 vezes por dia com palito, cotonetes, lanterna...as vezes chega a sangrar. Fora as esfoliações, lavagem intestinal, vaginal, assepsia do couro cabeludo. Debaixo das unhas...minha vontade é de ser enterrada viva, pra nunca mais ver ninguém, ou dormir, dormir, dormir até ... nunca mais acordar. As vezes quero que meu marido vá embora e leve meu filho pra longe de mim e me deixe sozinha...mas ele diz que nunca vai me deixar pq eu sou perfeita pra ele do jeito que eu sou. Assim, vou levando a vida!!!!

    Leticia Lacerda disse...

    Resposta ao comentário de Janaina Baraldo:
    Primeiramente, desculpe-me pela demora em respondê-la.
    Sem querer cair muito na "auto-ajuda", mas você não acha que está vivendo muito no passado e esquecendo do presente e do futuro? Será que você não está deixando de aproveitar novas oportunidades por viver presa no passado que, como o nome já diz, já passou? Pense nisso...
    Você já recebeu o diagnóstico? O fato de não estar seguindo o tratamento é muito preocupante.
    Em psiquiatria é comum que o portador abandone o tratamento por achar que tudo se resolve em um "passe de mágica", e não é assim... Demora mesmo. Trabalho de formiga; é preciso paciência.
    Aconselho-te a retornar ao tratamento. Em um primeiro momento pode parecer que não resolve nada, mas a longo prazo, faz toda a diferença!

    Abraços!

    Leticia Lacerda disse...

    Resposta ao comentário de "Anônimo de 29 de junho de 2012 10:29:
    Primeiramente, desculpe-me pela demora em respondê-la.
    Vejo um ponto muito bom no seu caso, você tem um bom casamento, e um marido que compreende que é bom evitar certos assuntos contigo. Sei que ambas as partes se esforçam e se apoiam, e isso é muito importante para o sucesso no tratamento!
    Bem, três meses pode parecer uma eternidade, mas o tratamento é para a vida toda, então, mantenha a calma, e ainda que você tenha a impressão (veja bem, eu escrevi IMPRESSÃO) de que o tratamento não está surtindo efeito, ainda assim, não o abandone.
    Você já tem algo importante: apoio familiar, então continue fazendo sua parte: tente manter o controle e seguir à risca o tratamento, e compareça sempre às consultas com o psiquiátra / psicólogo.
    Você e as pessoas que você ama só tem a ganhar, ainda que isso leve um certo tempo...

    Abraços!

    Anônimo disse...

    sou bipolar há mais de 06 anos, aposentei no CID F31.5 e CID F07, quem disse que eu era bipolar foi uma amiga de serviço que descobriu em mim as mesmas coisas que tinha no seu ex namorado um bipolar, meu transtorno era psicotico eu via coisas onde não tinha, hoje tem momento que eu fico tão euforico que parece que ganhei milhões na loteria, certos momentos um real no meu bolso parece ser milhões, gasto dinheiro sem ter, tenho uma ansiedade, uma sindrome do pãnico que nã acaba nunca, hora estou triste e momentos depois me transformo como se alguém me tivesse feito algum mal, às vezes tenho medo do desconhecido e me assusto a toa com barulho de telene celular em minha casa (não uso há mais de 04 anos), com barulho de carros e andando pelas ruas, já tive internado em hospital pisiquiatrico. Meu medicamento é Midazolan, Neuzine, welbutrin, e mais alguns outros medicamentos. Minha cabeça começa a doer quando ainda estou dormindo e vai pela manhã com o mesmo sintomas. Acordo na ansia que tem alguma coisa importante para eu fazer, e quando dou por si não tem nada para eu fazer, pois sou aposentado por invalidez. Meu serviço era na Segurança Publica. O que esperar para o futuro?

    Anônimo 36, triste. 25/03/2013

    Marcelo Santos disse...

    Muito legal o conteúdo e as opiniões colocadas. Sou diagnosticado desde 2011, fazendo uso regular de medicamentos desde então. Todavia, acho que convivo com o problema muito antes de qualquer exame específico, pois após o diagnóstico preciso, me identifiquei com muitos dos sintomas desde minha adolescência. A detecção foi meio que por acaso, após recomendação de um médico amigo de minha esposa, procurei um psiquiatra, o qual depois de umas 03 sessões, identificou o problema e melhorou sobremaneira os sintomas que por muitos anos me perseguiam e prejudicavam. Hoje, em virtude do diagnóstico apurado, não posso mais desenvolver trabalhos de campo, exercendo atividades internas em minha Empresa. Me identifiquei muito com os comentários postados, principalmente àqueles que remetem à falta de conhecimento e preconceito de muitos que lidam e convivem com os Bipolares. Parabéns pela iniciativa. Grande Abç.

    Marcelo Santos - SP.

    Anônimo disse...

    tbm sou bipolar e tenho todos os sintomas de tab, porem faço tratamento psiquiatrico e consigo tocar a minha vida .me sinto meio frustrada por nao poder exercer a profissao q fazia antes , porem devido ao tab tive q aprender a me conhecer melhor e viver um pouquinho diferente. Ainda bem que tenho um marido q me apoia nos momentos de crises existencias

    Anônimo disse...
    Este comentário foi removido por um administrador do blog.
    M.B.S. disse...

    Sou educadora e faço mestrado. Desde que meu pai faleceu (final da segunda graduação em 2008) comecei a ter sintomas de depressão, mas somente em 2010 procurei tratamento (cheguei a ficar 1 mês em casa sem trabalhar e só chorando). Desde então meu psiquiatra tratou como depressão. Na última consulta ele mudou a medicação e disse que eu estava em fase de euforia e que eu poderia ser bipolar (passou lamotrigina). Estou angustiada. Depois que li o blog percebi que desde criança tenho estas características, mas só agora com 30 anos vou começar a tratar. Brigo muito e tenho sempre a imagem de que sou incapaz, mesmo passando em concursos, sendo elogiada no que faço e obtendo notas altas no mestrado. Fico sempre em crise para entregar um trabalho: acho que não vou conseguir, que vou reprovar, que escrevo mal... brigo com todos em casa e sempre perturbo meu namorido (estamos juntos vai fazer 13 anos)e depois vem o conceito A e todos pensam que eu estou exagerando. Não comentei com minha mãe sobre a mudança de depressão para bipolaridade. Estou com medo de tomar o remédio e de ser mesmo bipolar. Me sinto um fracasso. Alterno entre choro e alegria. Tenho vontade de me machucar... Já comentei tudo com meu psiquiatra. mas minha mãe e irmão pensam que é falta de fé. Só meu companheiro tenta me ajudar, mas eu vivo ora brigando ora 'de bem' com ele. Sinto que estou fora de eixo. Hoje tenho um artigo para escrever e estou super mal por achar que não consigo. Exonerei um emprego público porque ficava em outro município e tinha medo da solidão (cheguei a trabalhar 3 meses) queria voltar pois gosto de ser professora mas minha mãe diz que não vou conseguir (nem sei se poderia pedir reassunção pois vai completar 2 anos final de julho- mas gostaria de voltar pois a remuneração é boa). Gostaria de indicação de um grupo de ajuda no Rio de Janeiro. Meu médico pediu para eu fazer análise, mas infelizmente é caro. Será que alguém do blog poderia me indicar um terapeuta acessível em termos monetários? Agradeço a gentileza.

    GUIA ESSENCIAL da Depressão Bipolar/TBH/TAB/Unipolar disse...

    Olá Letícia Lacerda!
    Quero parabenizar às(aos) criadoras(es) do blog, que tem como finalidade pública de levar esclarecimentos de saúde mental à portadores(as) de Transtornos Mentais, CID10 F31, TBH/TAB/DEPRESSÃO/OUTROS.
    Peço sua autorização para colocação de um LINK do seu blog no perfil do ORKUT que também trata do assunto de saúde mental e que é de UTILIDADE PÚBLICA.

    Indicação de Livros s/saúde mental - Link http://www.orkut.com.br/Main#Album?uid=12501822829937266997&aid=1
    Indicação de Filmes s/saúde mental - Link
    http://www.orkut.com.br/Main#Album?uid=12501822829937266997&aid=1208626784
    Indicação de Vídeos s/saúde mental - Link
    http://www.orkut.com.br/Main#FavoriteVideos?uid=12501822829937266997

    Meus agradecimentos.
    Que DEUS ilumine a mente de vocês e abençoe suas famílias!
    Fiquem em PAZ!
    um_pacificador@yahoo.com.br
    um_pacificador@hotmail.com
    ...passe isso adiante...

    Leticia Lacerda disse...

    Sem problemas. É fundamental compartilhar informações! Abraços

    Anônimo disse...

    Interessante matéria, infelizmente o enfoque no tratamento medicamentoso só prova a força da indústria farmacológica e a medicalização dos tratamentos. Visto que não dá ao indivíduo recursos para modificar seus comportamentos desadaptados.

    Josimar miami de oliveira disse...

    Pessoal não é fácil ser bipolar mas ninguém pede para ficar doente, o segredo é ter muita fé em Deus que força maior que a Dele não tem neste universo se vc deseja ser uma pessoa sadia todo pensamento positivo vem da sua mente se vc pensar que está bem isto sim é pragmático se vc pensa que esta mal sua consciência o fará assim então minha dica pense positivo que Deus está ao seu lado te cuindando eternmente reflita sobre isso meu email é jmiamideoliveira@gmail.com s alguém quiser conversar ou debater a respeito só m enviarem o meu no meu endereço acima abraços à todos...!!!

    Anônimo disse...

    EU SOU PI ,,MAS NAO AGUENTO TANTO REMEDIO FICO GORDA FICO MAGRA PERCO CABELO ,,NAO E JUSTO PASSO POR COBAIA ,,GASTO POIS CADA VEZ QUE QUERO MEDICAÇAO TEM QUE AMANHECER NO POSTO SOU TRATADA POR CLINICO ,,FIZ TRATAMENTO NO CAPA DO GRANDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇAO DE PORTO ALEGRE POR UM ANO E OITO MESES NUNCA ME SENTI BEM ,,MAS A MEDICA MAIS NOVA QUE E EU VIVIA ME DIZENDO QUE EU TINHA QUE ME SENTIR BEM ,,ME OBRIGANDO E ATE COGITOU SE EU NAO FICASSE BEM PODERIA PERDER MEUS FILHOS MAS ELA TAVA ERRADA ISSO NAO SE FAZ AMO LOS ,,,ENTAO EU FALEI O QUE ELA QUERIA ESCUTAR LOGO ME DEU ALTA AGORA ESTOU PELO POSTO DE SAUDE ELES NAO TEM PREPARAÇAO ADEQUADA PARA NOS ,,,DESABAFO ,,,,CANSADA ,,USADA ,,PERDIDA.

    Anônimo disse...

    EU SOU PI ,,MAS NAO AGUENTO TANTO REMEDIO FICO GORDA FICO MAGRA PERCO CABELO ,,NAO E JUSTO PASSO POR COBAIA ,,GASTO POIS CADA VEZ QUE QUERO MEDICAÇAO TEM QUE AMANHECER NO POSTO SOU TRATADA POR CLINICO ,,FIZ TRATAMENTO NO CAPA DO GRANDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇAO DE PORTO ALEGRE POR UM ANO E OITO MESES NUNCA ME SENTI BEM ,,MAS A MEDICA MAIS NOVA QUE E EU VIVIA ME DIZENDO QUE EU TINHA QUE ME SENTIR BEM ,,ME OBRIGANDO E ATE COGITOU SE EU NAO FICASSE BEM PODERIA PERDER MEUS FILHOS MAS ELA TAVA ERRADA ISSO NAO SE FAZ AMO LOS ,,,ENTAO EU FALEI O QUE ELA QUERIA ESCUTAR LOGO ME DEU ALTA AGORA ESTOU PELO POSTO DE SAUDE ELES NAO TEM PREPARAÇAO ADEQUADA PARA NOS ,,,DESABAFO ,,,,CANSADA ,,USADA ,,PERDIDA.

    Anônimo disse...

    Gostei do texto, bem informativo, e com as recomendacoes para a manutencao e controle do TAB. Creio que meu caso ja exciste desde que nasci. Sempre fui como diria minha mae, ´agitado´. Brigao na escola, passei no vestibular entre os primeiros, e profissionalmente alguns dizem que tive carreiras meteoricas. Nos ultimos seis anos, mudei de pais com a familia e cachorro quatro vezes (Mexico, Panama, USA e de volta ao Brazil), bem como perdi meu pai (problema renal), minha irma (cancer) e minha mae (coracao). Desenvolvi o lado depressivo, e o lado maniaco se pronunciou. Quaze perco o emprego e a familia. Os amigos entretanto, ja passaram a ser personagens do meu passado. Estou em tratamento psicologico e psiquiarico, e quando tenho disciplina para seguir o tratamento rigorosamente, ele funciona muito bem.

    Anônimo disse...

    Há 3 anos fui diagnosticada como Bi. Tenho 45 anos e vejo que já tinha sintomas desde, no minimo, os 12 anos de idade. Tive que me virar como podia - religião foi uma delas (católica, espirita, umbanda...). Mas não foi suficiente. Eu sempre buscava uma cura para algo que não entendia. Pensei em me matar inúmeras vezes... Com 39 anos comecei a fazer análise que me ajudou a criar mecanismos para lidar com o problema, mesmo sem ter a mínima ideia do que era. Eu apenas sabia que tinha algo de errado comigo. Eu sempre me sentia inadequada: momentos de profunda tristeza e ideias suicidas sem saber o motivo, seguida por comportamento debochado e agressivo. O pior era como a realidade mudava a todo instante... Não havia a menor possibilidade de viver o presente porque eu me sentia suspensa do tempo (o presente é a continuação do passado e o futuro será o que já é no presente). Com a medicação + os anos de análise, consigo levar uma vida "normal". Minha família sabe e levamos isso com bom humor. Gosto de brincar com isso (mesmo sabendo que é muito sério). É a forma de deixar o peso mais leve. Rir da dor é uma boa alternativa. Mas no momento da dor profunda, não há piadas... Apenas dor. Tudo é muito intenso, hiperbólico, exagerado, estremado, passional, visceral seja para a mania seja para a tristeza. Nos períodos de mania gosto de dizer que posso ir e voltar de Recife a João Pessoa andando. Trabalho numa empresa que tenho liberdade na medida do possível para adaptar minhas atividades ao meu humor (claro que não é tão flexível assim, o que é bom). Mas ser bipolar me ajudou a desenvolver facetas e aptidões da minha personalidade que me tornam única e capaz de ir além em muitos pontos. Alguns colegas do trabalho sabem e me apoiam e admiram a minha luta. Não sou casada porque ser bipolar me impediu de ter relacionamentos estáveis. Admito que tenho muita vergonha de dizer ao meu namorado que sou bipolar. Tenho medo de ser chamada de louca. Gostei dos esclarecimentos do texto e acho que se aprendermos a aceitar a doença, respeitar seus sintomas e tentar levar uma vida que dê algum espaço para essas oscilações, podemos ser pessoas mais felizes. Não é fácil. É preciso desenvolver uma intimidade imensa conosco para sentirmos quando cada ciclo vai começar e o que fazer para que o estrago seja o menor possível. Continuo a ter o mecanismo (chamo de gatilho) e sinto disparar, mas conheço os sintomas e como vou me sentir e TENTO lidar com a situação. Não é fácil e muitas vezes, quando algo de triste acontece, dói muito além do que deveria e acorda todas as dores passadas presentes e futuras... E se acontece num momento de fragilidade, parece que não tenho qualquer pele ou amparo e me sinto em queda livre num poço sem fim...

    Anônimo disse...

    Olá,infelizmente nós portadores de TAB esperamos perder bastante na vida para entender que sómos portadores de uma doença que com tratamento teremos melhora da qualidade de vida,hoje tenho 39 anos sem filhos que era meu sonho,sem marido devido a instabilidade que amamos e recentemente perdi acho que foi meu maior amor da minha vida,devido a misturar minha personalidade com bebida alcoolica,hoje chegando aos 40 estou me tratando e encarando que tenho problema como uma diabetes,câncer ,hipertensão só nunca quis encarar que tinha uma doença que precisa ser tratada,tem sido muito difícil para mim encarar as perdas aos longos anos que tive ,hoje vou certinho ao psquiatra tomo Trileptal ,vou fazer terapia e procuro atividade fisica mais saudável possivel,NÃO DÁ PARAR PERDER MAIS,mais é bem difícil mesmo encarar tudo isso.

    Anônimo disse...

    Sou bipolar(F31)agradeço pelas informações me ajudaram bastante

    thiagoj disse...

    É interessante ver os comentários de varias pessoas... Sou casado com uma bipolar, nossa historia começou em 2009 namoravamos e tivemos um filho acabamos casando, e ai começaram as crises em um mês eu era o melhor homem do mundo, e na próxima semana me odiava dizia que não via futuro na gente e isso ficava por 2 semanas aquele clima ruim, pouco conversavam os eu perguntava o q estava acontecendo porem ela só dizia nada... Deixa eu na minha. E assim foi por 2,anos eu sem muito intender mas tentando ser compreensivo... Porem não durou nos separamos ela achou que devia viver aproveitar a vida... Ficamos 2 anos separados ela conviveu com outras pessoas quebrou a cara e voltou hoje estamos juntos novamente... Ela tenta se policiar nem sempre consegue esses dias mesmo esta crise todo mundo é importante pra ela menos eu... Tento conversar mas não tenho sua atenção ela fica colocando na cabeca que não vai dar certo novamente. Tento dar espaço pra ela
    Mas confesso é complicado mesmo sabendo da doença a GNT compreender da impressão q é algo conosco e acaba machucando algumas coisas q ouvimos. Mas de QQ forma estou aqui esperando a fase boa dela para aproveitar cada momento. Pois como ela diz sou uma pessoa que t alguns momentos que não me conheço se VC intenser isso teremos tudo... Estou tentando por.nos pelo nosso filho mas não é fácil.... Um.abraço a todos

    KAREN disse...

    boa noite! meu marido e bipolar, e sempre que entra em crise perde o emprego, pelo menos uma vez por ano ele tem uma crise, dura 2, 3 meses, e é horrivel. alguem poderia me informar se essa doença F31 aposenta? ele ficou assegurado pelo inss, por auxilio doença. A luta para nós que convivemos e pesada! ficamos doentes tambem.. muito bom esse blog. adorei!

    Bipolar Brasil disse...

    Só para avisar, a partir de 2015 o Bipolar Brasil está em novo endereço anote se houver interesse em saber mais sobre o tema: Novo Bipolar Brasil *o ponto net (não está mais ativo, agora é ponto com, ponto br o final do endereço. Abs Will Brasil

    Anônimo disse...
    Este comentário foi removido por um administrador do blog.
    Anônimo disse...

    Achei excelente este post. Deveria ser compartilhado nas redes sociais pq a bipolaridade é realmente algo ou muito banalizado, pincipalmente entre jovens em que tacham qualquer ato como bipolar ou passivel de mto preconceito e julgamento.
    sou bipolar o que só foi corretamente diagnosticado depois de 12 anos ddqdo mudei de psiquiatra. Porque mto embora a fase depressiva fosse a mais duradoura, a minha psquiatra anterior era um desses profissionais que nao se reciclam,acomodada, que me encheu de paroxetina que me ajufou a engordar 40 kg durante estes 12 anos pessima por sinal. Qdo mudei de medica a profissional identificou meu caso de cara. Ela e mto cuidadosa em me prescrever medicamentos que nao aumentem meu peso desde julho passado tenho sessoes de psicanálise para me ajudar a estabelecer certos filtros, ja que sou muito sensível em relação ao julgamento de outras pessoas. ssei exatamente qdo tudo começou, o start da minha doença. Foi o trabalho onde sofri muito bullyng por ser uma pessoa recatada , muito bonita na epoca, e principalmente me destacar em todas as atividades, alcançando cargos de chefia muito rapido. Nao tenho pensamento de grandeza, apenas sei enumerar tambem as virtudes que possuo. O interessante que qto mais inteligente vc é mais incapaz vc se sente. É mais ou menos aquele verso que diz que as vezes a ignorância é uma bênção. Um topico que quero desmistificar aqui é sobre o
    duraçãoo fato de uma pessoa bipolar nao poder ter um relacionamento afetivo, casamento, duradouro. Estou casada ha muitos anos e meu esposo é um grande apoio pra mim, abaixo de Deus, e o fato de eu nunca negar pra mim mesma o meu problema Também. Encaro a bipolaridade em relacao aos medicamentos como qualquer outra doença crônica como diabetes por exemplo ou hipertensao. Sei que terei que tomar remedios a minha vida inteira mas isso nao me incomoda. O que realmente me incomoda é o preconceito e mitos em torno da doença e é claro o sofrimento que ela trás. Gosto de pensar que a bipolaridade é para os fortes, porque não é nada facil viver com ela.

    Anônimo disse...

    Ps. Continuando meus comentarios, primeiro peço desculpas pela falta de pontuação ou excesso de letras em alguns trechos. Este teclado de tablet é uma porcaria...
    ... entro na fase de mania apos viver algum stress mto grande como a morte de alguem que amo ou sofrer algum tipo de injustiça. ja fiquei varios dias sem tomar banho, so da sala de tv pra cama e vice-versa. Ser perfeccionista tambem é um sofrimento pois isso me decepciona muito em relação ás pessoas. Hj estou mais serena pq estou de licença saude daquele trabalho que pra mim é um verdadeiro inferno!
    Eu realmente odeio aquele lugar e as pessoas que me fizeram tanto mal Gratuitamente. Estou afastada ja há 6 anos por licença sem remuneraçao e ha quase 1 ano por licença saude. Espero poder me aposentar por invalidez por ser necessario e justo ja que nao tenho qualquer condição de voltar aquele lugar e regimento de trabalho opressora.

    indignada com besteiras q o povo fala. disse...

    Parece que a sra traída que publicou anonimamente no dia 22 de abril, esta confundindo pilantrangem, mau caratismo com bipolaridade e isso alem de preconceituoso é super ofensivo. Sou bipolar e nao minto, nem traio meu marido. Acho qus vc se casou com um tremendo 171 que inventou ser doente e que te traumatizou a ponto de que quem precisa de tratamento hoje é a sra.

    Anônimo disse...

    Eu fui premiada alguns anos de mania/hipomania induzida por anti-depressivo. Alguém faz idéia do que seja isto? Como consequencia adquiri fala compulsiva, ansiedade extrema, vicio em ansiolitico entre outros probleminhas.

    Anônimo disse...

    Gostei muito do que foi mostrado. Sou bipolar. Não tenho ideia de quando começou. Muitas mortes na família, e outros pode ter sido em algum momento destes.

    Mas o que quero acrescentar é sobre o suicídio. Eu sei pois dentro do quadro bipolar entrei em crise psicótica. Como sou espiritualista. Entendi perfeitamente. Que ali já não dominamos mais nada. Os 10 dias em que estive em crise psicótica poderia ter me matado e ser só mais um numero na estatística. Destes 10 dias até hoje os tenho como amnésia, não lembro, ou se lembro são pedaços como pesadelos onde não dominava o que fazia.
    Portanto eu digo que quem se mata neste estado na realidade não cometeu suicídio pois ele sequer sabe o que está fazendo.
    Tenho que agradecer pois fui internada imediatamente. O que evitou, um fato grave.
    Espero que tenha sido útil de alguma forma.

    Daiana disse...

    Amigos, bem sei como sofre quem tem o transtorno, como quem convive com alguém q o tenha...
    Estou sofrendo muito... Tenho um namorado c transtorno bipolar q não aceita o tratamento com medicamentos, está fazendo terapia c psicóloga... Porém não existe muito que eu consiga fazer por ele... Estamos juntos a 5 anos e as crises acontecem sempre próximo da mesma data e qdo está em crise a primeira pessoa q ele se afasta, sou eu... Alega não existir mais sentimentos... Oq passa com 30 a 40 dias... Ele não se afasta p trair pois já coloquei até detetive p verificar a possibilidade de não ser o transtorno... Nessa fase ele faz coisas sozinho aparenta estar muito deprimido, porém no trabalho se destaca com muitas idéias nessa fase, fala bastante, toma muito café, não tem fome ou sono...
    Muito difícil essa fase... Moramos juntos e nesse momento está em crise e foi embora para a casa da mãe...
    Convivo com uma pessoa que não posso programar o próximo fim de semana, pq não sabemos como estará o humor dele...
    Espero conseguir vencer esse problema... Amo muito ele e os momentos em que está bem, não existe pessoa melhor...
    Tenho 33 anos e o conheço desde os 13... Não gostaria de perder esse amor... Luto contra isso todos os dias, mas infelizmente luto sozinha, a família não acredita q ele tenha algum distúrbio, mesmo sabendo que o pai foi assim a vida toda e a irmã faz tratamento de transtorno bipolar a anos... Me apego a Deus e aguardo ansiosamente sua recuperação e que um dia ele entenda a necessidade do uso de medicamentos...

    Anônimo disse...

    RECEBEMOS EM NOSSA CASA UMA PESSOA HA CINCO ANOS, QUERIA VIR DO NORDESTE PA SP PARA TRABALHAR, MAS DOIS MESES DEPOIS PERCEBI QUE ELA TINHA ALGO QUE ERA DIFÍCIL A CONVIVÊNCIA. HA CINCO ANOS TENTAMOS AJUDAR E UM DIAGNOSTICO. SÓ AGORA UMA PSIQUIATRA ESTA LEVANTANDO A TAB E VEJO QUE ENCAIXA BEM ...QUEREMOS AJUDAR JÁ QUE A FAMÍLIA NEM LIGA PA ELA, MAS CONFESSO QUE TEM SIDO MUITO DIFÍCIL..NÃO PODEMOS FALAR NADA QUE JÁ VIRA TUMULTO, TRABALHO NEM PROCURA MESMO PSIQUIATRA E PSICOLOGO INDICANDO, PARECE QUE SÓ FAZ O QUE QUER E E AS VEZES ACASA PARECE DELA E NÓS QUE ESTAMOS VINDO DE ALGUM LUGAR, TAMANHA O TER DE NOS SEGURARMOS PA EVITAR AGRESSIVIDADE...ESTOU MEIO CANSADA E COLOCANDO UM TETO PA VER SE ELA BUSCA TRABALHO, SE DE FATO FAZ TRATAMENTO . CONFESSO QUE ESTOU CHEGANDO AO MEU LIMITE

    Anônimo disse...

    Fui diagnosticada em 2005 apesar de sofrer a vida inteira com os sintomas da doenças, e confesso que não existe sofrimento mais difícil de lidar do que esse, minha família nunca entendeu era só brigas e desavenças dentro de casa, fazendo com que eu abandonasse a casa da minha mãe ainda na adolescência, conheci uma amiga que foi e continua sendo meu anjo da guarda até hoje, ela que segura a barra em minhas crises, que não são nada fáceis, com muito esforço e até como terapia mesmo entrei na faculdade e consegui me formar, tinha crises constantes na universidade mais quando eu entrei eu explique meu problema aos dirigentes então quando eu surtava eles já sabiam, me mandava pra casa e assim eu fui vivendo até o termino do curso, mais hoje não consigo exercer devido a doença que está cada vez mais grave e frequente, tenho marcas no corpo de corte que eu cortei quando estava em crise, e os pensamentos suicidas são frequentes, tenho muitas manias, euforias, depressão profunda e faço uso continuo de medicamentos, inclusive neste momento atravesso uma depressão profunda que vem me consumindo dia pós dia, o vazio por dentro a lágrimas que escorrem dos olhos a gente não consegue explicar e nem evitar...estou nessa luta não sei até quando tenho muito medo de perder pra ela, e acredito que não existe nada pior que sofrer desse mal invisível, que chega de mansinho e nos destrói sem piedade..



    Helaine Madalena disse...

    No início é uma loucura desgarrada ate tomar coragem para se equlibrar.
    Minha mae era,e morreu com problemas dco lítio,ele calcificou as válvulas mitrais e la se foi,sem chances de se auto conhecer,pois tinha uma linda voz ,mas qundo despoletava nada e ninguem sabia o melhor para ela.
    Eu ja percebia que havi algo estrnaho comigo desde pequena.Sons , luzes, vozes, prosas, desenhos ,pensamentos muito estranhaso, muita ansiedade,muita euforia, desejo de sucesso, muitos sonhos e pouco rendimento na escoal, e no trabalho,mas fui feliz froa da Brasil. Casei -me smepre gostava de musica dança, artes , e meus artesanatos.
    O dia que perdi uma gravidez e fui abandonada , o mundo caiu o o marido sumiu...
    Fiquei hospitalizada graças a Deus em hospital de alta qualidade,no Porto ,mas mesmo assim queria voar pela janela.
    E fou Quetipiana, Lorax, resplexil(Caro e quese acbou com muus rins, lítio e rispiridona,seroquel .
    Eu fui ao fundo, eu sei que fui abandonada, 32anos ,bonita e cheia de sonhos.
    Eu sofri, custei para perdoar.
    E hoje fico feliz por encontrar anjos que nos entendem.
    Fiz blogs, páginas, artes, prosas, livro, pintura e desinhos que representam o que sinto, vejo e crio ou desejo.
    Perdoei meu ex, porque cho que le tem pena de mim e não precido de pena e sim de espaço.
    Gostaria que alguém juntmente com pessoas d este nivel, desenvolvessem espaços de artes, danças e terapias socias , onde possamos desenvolver nossos trabalhos , termos nossa retorno financeior e ajudar outras pessoas.
    Eu sou deliz, sou instávelm ,é complicado ter relacioanamentos duradourod, porque do nada vem a vontade de pintar, rir chorar e sozinhos é bem melhor doques er julgados a todo instante, ou é melhor que não se diga o que é.
    Somos artistas ,POnto.
    Att.

    Fabi Fernandes disse...

    não sabia que o litio dava problemas no coraçao , sei que pode dar na tireoide e rins segundo o pisiquiatra

    Anônimo disse...

    queria saber tomo litio ele estar baixo , por tar baixo pode ser negado auxilio doença.

    Anônimo disse...

    Queria encontrar aqui um post de quem hoje esta bem depois de anos...

    Anônimo disse...

    Eu acho que meu marido é bipolar.
    Oscila no humor e é agressivo nas palavras. Muda de humor com muita frequência e tudo incomoda.
    Quando está mau humorado nem durmo com ele porque diz que estou me mexendo e acordando ele.
    Põe a culpa dos seus erros em mim. Nunca tá errado e quando tento conversar, chega a quebrar os moveis e fazer ameaças...

    É difícil a convivência porque ele não se trata e não admite ter problemas...

    Leticia Lacerda disse...

    Olá! Olha, o diagnóstico da bipolaridade não é tão simples assim. Existem outras patologias que podem ser confundidas, em especial, a depressão que também é um transtorno de humor, e gera "ciclagens" assim como a TAB. O ideal seria que ele procurasse a ajuda de um psiquiatra.

    adriane Leal disse...

    Olá, sou orientadora em uma escola que tem um aluno com este diagnóstico F31 estudando na EJA. Os professores me pedem ajuda de como lidar com o mesmo em sala de aula. Ao pesquisar sobre o assunto, não encontrei nada sobre alunos com TAB ou como lidar com alunos com TAB. Sei que o referido aluno usa medicamentos e faz acompanhamento com psiquiatra, mas sentimos necessidade de incluí-lo mais nas atividades escolares. Agradeço muito sua atenção.

    Leticia Lacerda disse...

    Adriane, não tenho grandes conhecimentos na área da educação, mas indico-lhe dois artigos sobre o tema. Outra opção seria (caso esteja em São Paulo) verificar a possibilidade da inclusão deste aluno no Programa Transtornos Afetivos - GRUDA do Hospital das Clínicas da USP.

    BRUM L.A. et al. Aprendizagem e transtorno bipolar: reflexões psicopedagógicas. Disponível em:
    http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862011000200010

    SUPRIANO, F. Identidade, Relações Familiares e as implicações na aprendizagem. Disponível em: http://fpa.art.br/fparevista/ojs/index.php/00001/article/view/47/90

    adri motta disse...

    BOA NOITE! FUI DIAGNOSTICADA COM TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR EM 2012, MAS SOFRO DE DEPRESSÃO DESDE 1997.A 1ª CRISE DE DEPRESSÃO SEGUIDA DE MOMENTOS DE AGRESSIVIDADE SURGIRAM DIANTE DO DIVÓRCIO DO MEU 1º CASAMENTO. ANTES DISSO EU SEMPRE TIVE UMA PERSONALIDADE FORTE,ERA GUERREIRA,FELIZ,MAS HOJE PERCEBO QUE SEMPRE TIVE AUTO ESTIMA MUITO BAIXA,SEMPRE TIVE AS MELHORES NOTAS DA MINHA SALA NA ESCOLA MAS AINDA SIM ME SENTIA SEMPRE REJEITADA PELOS AMIGOS.
    MINHA FAMÍLIA,IRMÃOS,TIOS E PRIMOS DOS QUAIS EU TINHA UM RELACIONAMENTO BASTANTE ATIVO E AFETIVO,SE AFASTARAM DE MIM. CONHECI UMA PESSOA QUE SE APROXIMOU DE MIM E ACABAMOS NOS CASANDO,PQ EU ENGRAVIDEI.É DIFÍCIL OUVIR SEU MARIDO,FILHOS E IRMÃOS ,RINDO E DEBOCHANDO DE VC,JOGANDO NA CARA O QUE VC FEZ OU FALOU. HOJE NÃO CONSIGO MAIS SAIR PRA PROCURAR EMPREGO ,ME SINTO SOCIALMENTE EXCLUÍDA, HUMILHADA PELO MARIDO E FILHOS ,POR NÃO TER MINHA PROFISSÃO E ME SUSTENTAR SEM A AJUDA DE NINGUÉM.O GOVERNO NÃO NOS AJUDA EM NADA,MEUS REMÉDIOS NÃO ESTÃO DISPONÍVEIS NA REDE PÚBLICA,TODO MÊS É UMA TRISTEZA PRA MIM NA HORA DE COMPRÁ-LOS .. DEPENDER DO MARIDO, DE UMA AMIGA PARA TER MEUS REMÉDIO É HUMILHANTE. NUNCA FIZ TERAPIA,ATÉ TENTEI NO POSTO DE SAÚDE DO MEU BAIRRO,MAS É MT PRECÁRIO O ATENDIMENTO;EU SEI MAIS DA MINHA DOENÇA (PQ ME INFORMO SEMPRE), DO QUE A PSICÓLOGA DO POSTO DE SAÚDE DE ONDE EU MORO.ENQUANTO EU FIZ CONSULTAS E TRATAMENTOS PELO SUS,NUNCA TIVE UM DIAGNÓSTICO ,SÓ DEPOIS QUE PAGUEI CONSULTAS PARTICULARES TIVE O 1º DIAGNÓSTICO E MEDICAÇÃO CERTA. EU SÓ QUERIA SER UMA PESSOA NORMAL,TER O PODER DA MINHA VIDA E DAS MINHAS DECISÕES DE VOLTA. ACHO QUE NUNCA SEREI UMA MULHER COMPLETA.

    Ben Adam disse...

    Olá, fui diagnosticado com o cid F 31.6 + cid F 10.3 há uns 10 anos. Perdi vários empregos, dois relacionamentos, gastei muito dinheiro, tentei o suicídio duas vezes. Estive internado por 3 vezes e agora estou participando do CAPS AD. Estou sendo medicado com lítio, diazepam, fluoxetina e tiamina. Faço acompanhamento dois dias na semana participando de grupos. No momento estou no auxílio doença mas vou entrar na justiça para aposentar'me. Muito legal o blog, parabéns.

    Ben Adam disse...

    Olá, fui diagnosticado com o cid F 31.6 + cid F 10.3 há uns 10 anos. Perdi vários empregos, dois relacionamentos, gastei muito dinheiro, tentei o suicídio duas vezes. Estive internado por 3 vezes e agora estou participando do CAPS AD. Estou sendo medicado com lítio, diazepam, fluoxetina e tiamina. Faço acompanhamento dois dias na semana participando de grupos. No momento estou no auxílio doença mas vou entrar na justiça para aposentar'me. Muito legal o blog, parabéns.

    Anônimo disse...

    É uma doença que levaremos até o final da vida. Quantos anos consegui viver um portador de TAB?

    Anônimo disse...

    Qual a média de vida de um portador de TAB?

    Anônimo disse...

    MEU PAI é aposentado por invalidez DESDE 1987 com os CIDs219.0/298.4/300.4/300.8, Hoje os CIDs mudaram,ELE é acompanhado dês que se Acidentou ma Empresa, Hoje ELE está sofrendo um processo de DESAPOSENTACAO, COM os CIDsF41.2/F31/M54.1/R52.2.VIVO a VIDA toda tomando Conta DELE, pois o mesmo já tentou VÁRIAS vezes o SUICÍDIO, À tem sido acompanhado a VIDA toda, que Eu sendo Filho posso fazer,ELE era bem Empregado numa EMPRESA GRANDE, que vocês me aconselham tá difícil VIVER, com um pessoa que tinha um Bom SALÁRIO hoje vive com apenas um décimo de quando trabalhava,E AI ALGUMA SUGESTÃO,

    Unknown disse...

    Estou em uma crise depressiva. F31.3 preciso de ajudar! Pq estou cansada demais e já não tenho forças pra nada

    Mikkelsen Sophia disse...

    Estou tão feliz hoje por que o doutor Dr. PEPOKO de pepokolovespell@gmail.com
    Estou tão feliz hoje por que o Dr. Dr. PEPOKO de pepokolovespell@gmail.com Ele é um grande conjurador de feitiços. Minha família tem estar vivendo juntos em paz e amor, estávamos casados ​​por 15 anos com Cinco lindos filhos e tudo correu bem até que meu marido começou ficar fora tarde e me bater com qualquer desculpa que ele recebe, ele iria sempre ficar bêbado e eu Estava inclinado a descobrir qual era o problema e descobri que ele estava vendo uma jovem fora que ele estava planejando para se mudar juntos e estava preparando um divórcio. Fiquei devastada como eu amo meu marido tanto e eu procurei ajuda, eu entrei em contato com muitos feiticeiros, mas nada aconteceu até me encontrei com o médico Dr. PEPOKO, que me disse tantas coisas e disse-me que eu não deveria se preocupar com o meu Situação presente que tudo vai ficar bem e me disse que ele vai lançar um feitiço de retorno que vai trazer meu marido de volta para mim e ele era fiel às suas palavras, quero que todos me ajudem graças Dr.PEPOKO e eu prometi-lhe Que sempre direi às pessoas de suas boas obras. Ele é um poderoso conjurador de feitiços. Contato para o que nunca os problemas que você tem e ele vai ajudá-lo a sair dela. Aqui está o seu endereço de e-mail pepokolovespell@gmail.com e também o seu número Whatsapp é +2347053699933. Seu site: www.pepokolovespelltemple.blogspot.com entre em contato com ele, ele é um poderoso conjurador de feitiços e rezo para que o ajude também.

    Anônimo disse...

    ANONIMO-MEU MAIOR PROBLEMA SÃO OS SINTOMAS QUE MEU CORPO REPRODUZ,E FAZER COM QUE AS PESSOAS POSSAM ME ENTENDER E NÃO CONSEGUIR MAIS FICAR DENTRO DE UMA SALA DE AULA E OS REMÉDIOS QUE SÃO MUITOS RSRSR ,E TENTAR ME CONTROLAR NA HORA DA RAIVA,MAS TENHO QUE ME ACOSTUMAR COM ESSES E OUTROS FATORES E AS CRISES QUE SEMPRE VAI ACONTECER,MESMO SENDO MEDICADA E ASSIM EU VOU VIVENDO UM DIA APÓS O OUTRO,BEIJOS PESSOAL

    Flavia Bernardes disse...

    Sou bipolar tipo 2, mas me trataram como só depressiva apesar das loucuras q fiz nos picos de euforia e apenas 10 anos depois quando fiquei internada em 2010 q me deram o diagnóstico e TAB. No total são 17 anos de tratamento, mais de 24 médicos diferentes, mais de 49 medicamentos diferentes, mais de 7 internações e Eletroconvulsoterapia (ECT) e continuo na mesma sem melhora na qualidade de vida!!! Não aguento mais correr atrás de tratamento...atualmente passo c um médico que disse que meu caso é refratário e eu não respondo a tratamento com medicações e nem ele sabe mais o q fazer! Sou casada há também 17 anos e meu marido suportou passar por todo sofrimento comigo sou muito grata a ele por não desistir de mim...mas atualmente penso muito em suicídio e estou sem esperanças e n sei pq resolvi compartilhar isso com vcs...

    Flavia Bernardes disse...

    Sou bipolar tipo 2, mas me trataram como só depressiva apesar das loucuras q fiz nos picos de euforia e apenas 10 anos depois quando fiquei internada em 2010 q me deram o diagnóstico e TAB. No total são 17 anos de tratamento, mais de 24 médicos diferentes, mais de 49 medicamentos diferentes, mais de 7 internações e Eletroconvulsoterapia (ECT) e continuo na mesma sem melhora na qualidade de vida!!! Não aguento mais correr atrás de tratamento...atualmente passo c um médico que disse que meu caso é refratário e eu não respondo a tratamento com medicações e nem ele sabe mais o q fazer! Sou casada há também 17 anos e meu marido suportou passar por todo sofrimento comigo sou muito grata a ele por não desistir de mim...mas atualmente penso muito em suicídio e estou sem esperanças e n sei pq resolvi compartilhar isso com vcs...

    Kingsley Tom disse...

    Sou Tom Kingsley, sou do Texas, EUA. Faz um tempo que escrevi para agradecer a minha vida pelo Dr. OHIKHOBO que me ajudou na minha vida. Fui infectado com HERPES SIMPLEX VIRUS em 2016, fui a muitos hospitais para curar, mas não havia solução, então estava pensando como conseguir uma solução para que meu corpo possa estar bem. Um dia, minha tia me apresentou ao doutor OHIKHOBO, tendo visto tantos testemunhos on-line sobre sua medicina herbal para curar HERPES e me deu seu email: drohikhoboherbalcenter@gmail.com, então eu envio-o. Ele me contou todas as coisas que eu preciso fazer e também me dar instruções para seguir, o que eu segui corretamente. Antes que eu soubesse o que está acontecendo depois de uma semana, o HERPES que estava no meu corpo desapareceu. Então, se você está tendo herpes ou qualquer tipo de doença listada abaixo * DIABETES * CANCER * STROKE * INFERTILIDADE * DOENÇA CARDÍACA e você também quer cura, você também pode enviá-lo por e-mail para: drohikhoboherbalcenter@gmail.com e ligue para ele via + 2349053294137 Ou whatsapp ele via +2348103601042 aqui é seu site http://drohikhoboherbalcenter.webs.com

    H.D.N disse...

    Olá... meu ex marido me abandonou e fico me perguntando o porque mesmo sabendo que ele foi diagnosticado com Transtorno Bipolar...Ele sofre muito desde os 15 anos... Namoramos uma vez e ficamos noivos e um dia ele foi embora sem se despedir passaram-se alguns anos nos reencontramos, ele me disse que me seguiu,que caiu várias vezes em depressão, chegou a tentar suicídio... Voltamos a namorar,fui com rle no psiquiatra pq ele se sentia mais a vontade comigo por perto,levei ele na igreja tb pois ele me dusse que ouvia uma voz falando com ele... Bom passamos por muitos momentos bons e ruins até que engravidamos... Foi um susto pq nosso filho nasceu prematuro... Passamos 3 meses dentro do hospital.... Quando estávamos bem em casa na nossa melhor fase ele surtou por conta de uma discussão boba e sumiu.. No outro dia ele apareceu me dizendo que só estava comigo por causa da criança e que sentia carinho,respeito, paixão e até tesão por mim mas que não me amava mais...Ele disse que queria procurar ajuda médica pq acredita que o amor volte... Não sei o que pensar vcs poderiam me ajudar ? Isso pode ser uma crise ou ele está agindo como quem deixou de amar mesmo?

    Anônimo disse...

    Cuidado com estes feiticeiros. Agora eles cobram dinheiro e realizam pedidos. Mas o que não falam, é de depois será cobrado bem caro, não será dinheiro, e nenhum dinheiro conseguirá pagar.

    Anônimo disse...

    Olá.

    Sou bipolar há muito tempo, mas agora estou bem e feliz, finalmente.

    O mais importante é tomar o remédio certinho, e fazer as recomendações rigorosamente.

    As coisas que mais ajudam em seguida são, cortar todo o álcool; é duro, mas ajuda tanto quanto tomar o remédio, mas demora um ou alguns semestres pra reparar bem. Fazer exercícios aeróbicos regularmente, como caminhadas, duas a três vezes por semana, uma hora por vez. Também demora alguns meses neste caso pra reparar.
    Se alimentar bem, é usar moderadamente mas usar os estimulantes, café e chá verde pra se animar de dia, mas com cuidado, pra não dar ansiedade e hipomania. E chás pra acalmar a tarde e ajudar a dormir a noite, sem cafeína, calmantes, como camomila e outros, do seu gosto.

    Eu lembro das agonizantes aulas na escola. Já tinha sido dos melhores alunos. A escola e a infância tinham me sido mágicas.

    * Estou bem agora. Me empolguei nos relatos pessoais. Estou estudando pra concursos públicos.

    A parte espiritual é muito importante. Ter bons amigos, pode ser bem poucos, mas realmente bons, se relacionar bem com a família, com os pais, tentar, pois é comum na família imediata de bipolares, alguns da família terem traços fortes de problemas psicológicos, ainda que não precisem de remédios, um amor bonito. Ter esperança na vida e fé em Deus, buscar a verdade e com ela praticar.

    Anônimo disse...

    Me comovi com o site, até passei da hora de dormir. Mas estou bem, estou de férias, estudando pra concursos públicos.

    Depois de 20 anos de tratamento, finalmente meu psiquiatra novo e minha psicóloga nova, excelentes profissionais, e grandes corações, me disseram que eu sou agora como uma pessoa normal, tendo passado pra tratamento de manutenção, realmente e finalmente, depois de 20 anos dormindo 12h por noite, bem sedado, vivendo no mundo da lua durante o dia. Foi um enorme delírio, agonia e sofrimento, mas tive um grande amor, algumas poucas boas namoradas, grandes e raros amigos, uma felicidade fascinante, simples e pura. Valeu a pena. Espero dar esperança aos bipolares e bordelines, pois sou um bipolar bordeline, finalmente bem e feliz.

    Simplesmente tem que tomar o remédio, não tem tratamento sem remédio. Eu faço tratamento há 21 anos, e só há dois ajustaram bem meu remédio, e eu saí do jardim da loucura, do País das Maravilhas.
    Cortar todo o álcool, psicoterapia, exercícios aeróbicos, e controle e bom uso dos estimulantes naturais, café, chá pra acalmar ou dormir,todas estas coisas ajudam muito, mas só se percebe bem depois, de seis meses a uma ano e meio em média. O tratamento é a médio e longo prazo.

    A parte espiritual é muito importante. Amor humano, a Deus, à vida. No meu caso, na mesma época final, estes dois últimos anos, em que fiquei bem, eu me tornei católico tradicional de sempre. O problema é que está a crise na Santa Igreja, mas ela é a única genuína, a de Cristo sobre Pedro (Mat16,18), e as portas do inferno não prevalecerão sobre ela, nestes tempos temíveis. Mas obedecendo aos seus preceitos e mandamentos estou feliz. A medicina me trouxe o bem-estar, é o catolicismo, a felicidade. Agora é seguir a Lei de Deus, obedecer à Santa Igreja, viver conforme Ela na terra pra buscar o Céu.

    Que Deus ajude a todos.

    Anônimo disse...

    Eu escrevi uma resposta pra ti, Flávia, não sei se recebeu. Mas tem uma versão parecida que escrevi pro post, aqui no final, embaixo. E uma resposta pra uma moça, aqui no post também.

    Depois de 21 anos de tratamento, dormindo 12h por dia, dormindo em pé de dia, viajando na maionese, mas tive um grande e simples amor, me graduei, quase fui fazer mestrado com bolsa na Austrália, mas foi mesmo melhor estar em depressão e ter parado na clínica e feito o tratamento.

    Na minha experiência, as recomendações que os médicos dão, estas são as melhores.

    Fica com Deus. Há esperança.

    Sílvio Ricardo disse...

    Tenho Transtorno bipolar não sei nem desde quando. Estou em licena saúde e tenho pânico de ter de voltar ao serviço pois "acham" que é uma desculpa por algum erro. Desconhecem o verdadeiro significado de uma pessoa com sintomas e diagnóstico de bipolaridade. O preconceito pega com a maior facilidade.